Afficher le menu
Information and comments (0)

Info:
Unfortunately no additional information has been added for this RP.

Aqui e de Volta, Outra Vez

Beatrix_algrave



A chegada de Beatrix



E o caminho prosseguia, além do Tejo e Beatrix já avistava os muros da cidade de Crato e sua verde floresta.

O cantil estava seco, seu cavalo estava cansado, mas ela estava ali, finalmente chegando a Portugal. Havia cruzado uma distância enorme até ali, cruzando vários reinos e cidades, ouvindo várias línguas em cada paragem. Muitos não acreditavam que ela conseguiria...

Era mais fácil crer que a mocinha ruiva e seu grupo seriam trucidados por ladrões da estrada ou exércitos mercenários. Mas passaram completamente incólumes, com a proteção de Jah, São Miguel Arcanjo e São Jorge de Lydda.

Gennaro fora pela estrada da Guarda, pois ele preferia seguir logo para o norte, onde se encontraria com o senhor Yochanan no Paço dos Arcanjos. Então, a estrada se dividira e Beatrix seguiu o seu caminho até Crato, separou-se de outros viajantes antes mesmo de entrar na cidade. As despedidas foram breves mas sinceras. Aquela sem dúvida fora uma viagem inesquecível. Muitos meses longe de casa. Havia muito o que fazer e o que contar. Na bagagem havia várias paginas de registros de viagem e de desenhos que fizeram inspirados nos lugares que visitara.

Ela parou na floresta, o cavalo estava cansado e faltava tão pouco. Para que forçar e maltratar o animal? O importante é que ela estava em terras portuguesas, ainda que longe de sua casa. Isso já a tranquilizava um bocado. Ela tinha tempo de parar e descansar e isso parecia bom.

Enquanto o cavalo descansava e pastava um pouco, ela sentou-se em um tronco e apoiou as costas em uma árvore próxima. Ficou sentindo a brisa suave daquela manhã fresca e agradável.

_________________
Mensageiro das sombras, roleplayed by Beatrix_algrave


Sombras se moveram junto com a brisa e uma carta caiu no colo de Beatrix. Na cera que a lacrava a marca que a jovem Algrave já conhecia tão bem.
No interior da carta, linhas bem desenhadas diziam o seguinte:

Citation:
"Bem vinda de regresso Senhorita Algrave,
Espero que esta a encontre em tempo e com saúde. Me sinto no dever de informar-lhe que noticias de vosso falecimento chegaram às nossas costas. O barco no qual viajastes até Alexandria e lhe deveria trazer de regresso naufragou durante seu retorno, sem sobreviventes pelo que sabemos.
Vossas primas estão devastadas com a noticia e preparam um funeral em vossa homenagem. Lhe recomendo que procure entrar em contacto com elas o mais rápido que lhe seja possível. Vosso irmão acreditou em todo momento que vossa mercê se encontrava com vida e bem, e nos solicitou enfaticamente que buscassemos por si. Me alegra o espirito que ele tivesse razão.
Quando vier ao Porto, espero que venha ao Paço dos Arcanjos, desejo saber em vossas palavras como foi a viagem e como avançaram os vossos estudos.
Sem mais me despeço,
Sinceramente"


A carta finalizava com uma assinatura que a Arauto havia visto inumeras vezes, a do Prior dos Azure.


Beatrix_algrave


Aquele tipo de coisa ainda surpreendia Beatrix, mas ela assim mesmo tomou a carta entre as mãos, e ao reconhecer o selo, a abriu.

As notícias que recebera a deixaram preocupada. A viagem até Alexandria foi feita no barco Le Grifon, mas como ela precisava ficar mais tempo em Alexandria com Gennaro para encontrar com a Agulha, teve que voltar em outro barco, que deveria levá-los até Portugal. O capitão do barco, no entanto não cumpriu o trato, pois Gennaro perturbou tanto a tripulação com seu mau humor que eles votaram para que fossemos deixados na Turquia e de lá seguíssemos a pé.

Apesar da ação deles, Beatrix estava bem triste em saber que o barco havia naufragado e que não havia sobreviventes. Sua surpresa maior no entanto foi que a carta que enviara sobre a sua mudança de planos não havia chegado a seu destino e que suas primas a dessem como morta. Assim que chegasse à cidade ela iria enviar uma mensagem para tranquilizá-las com a boa notícia.

Após terminar de ler a carta, Beatrix guardou-a em seu alforge e se preparou para prosseguir viagem.

_________________
Fitzwilliamdarcy


Após encontrar com Beatrix na taverna de Crato o Sr. Fitz, que estava dormindo quando a Dama chegou, foi com ela dar uma volta na cidade.

Passeando pelo mercado o Sr. Fitz não escondia o entusiasmo e a alegria de ver a jovem Dama novamente.

- Sabes, enquanto estavas fora senti muito a tua falta.

Observando umas frutas a vendo ele continua...

- Quando deixei o quartel lembrei muito de ti. Quando desceste as escadas para irmos a festa de casamento ou quando dançamos no jardim, foram momentos inesquecíveis.

Ela pega as mãos da Dama e fala:

- Que bom que estas de volta.

_________________
Beatrix_algrave


Beatrix caminha calmamente ao lado de Fitz. Ela sorri e responde diante das palavras dele.

- Senti saudades tuas. Eu nunca imaginei que fosse fazer uma viagem tão longa. Mal acredito que voltei. Creio que há muitas coisas para me atualizar. Muitas novidades.

Ela comentou e sorriu novamente. Beatrix sentia-se um pouco cansada, mas procurava não demonstrar. Ainda que Crato não fosse o seu lar, estar em terras portuguesas e com pessoas queridas lhe dava a impressão de estar em casa, afinal, lar é o lugar onde nos sentimos bem.

_________________
Fitzwilliamdarcy


Ele viu que Beatrix estava um pouco cansada. Sua face era de fato de alguém que tanto viajara.

- Me pareces um pouco cansada. Queres repousar um pouco? Quando formos viajar eu acordo-te.


_________________
Beatrix_algrave


- De fato me sinto um pouco cansada, mas estou bem. Não se preocupe. Quando chegarmos a Santarém tiro um dia inteiro para apenas dormir.

Ela diz e pergunta para Fitz, procurando retomar a caminhada pela feira, apoiando-se em seu braço. Seu olhar para as barracas de fruta era desinteressado.

- Viajamos nessa madrugada então? Você deve estar ansioso para voltar para casa. Foi mesmo uma agradável surpresa encontrá-lo aqui. Eu realmente não esperava vê-lo no meu primeiro dia em Portugal.


_________________
Fitzwilliamdarcy


- Eu fiquei feliz de poder encontrar-te aqui. Eu não sei se viajaremos hoje.

Eles continuam a andar juntos pelo mercado...

- Desejas alguma coisa? Ou ir a outro lugar, não sei... Não conheço bem a cidade.

_________________
Beatrix_algrave


- Então talvez eu tenha mais um dia para repousar aqui mesmo. Não é a primeira vez que venho a Crato. Não há muito para se ver além da feira, dos moinhos e da ponte de pedra romana, que tem na entrada da cidade. Há a igreja e o Castelo de Flor da Rosa. Quer ir comigo à igreja? Eu devo algumas preces a Jah pelo meu regresso.

Ela propõe por fim e aguarda a resposta de Fitz. Ela fez suas preces na entrada da cidade, mas seria bom fazê-lo na casa de Jah.

_________________
Fitzwilliamdarcy


Ele pega na mão de Beatrix e sorrindo a responde.

- Então vamos a igreja. É sempre bom ir ao encontro de Jah.

Falava ele apertando os dedinhos de Beatrix.

_________________
Beatrix_algrave


Ela parecia muito feliz de que Fitz tivesse aceitado seu convite. Assim, Beatrix foi caminhando de mãos dadas com Fitz até a igreja que não ficava muito longe do mercado.

Ela seguiu com ele silenciosa e pensativa, até finalmente chegarem à igreja. O edifício de linhas sóbrias era profundamente marcado pelas grandes dimensões da torre sineira, de secção quadrangular, coroada por um coruchéu piramidal e pináculos nos remates dos cunhais. A sua frontaria lembrava de certo modo uma construção militar, sendo quebrada por um friso elevado, onde se representavam figuras hagiográficas e anjos saindo de taças, e pelas gárgulas representando figuras humanas e animais fantásticos. O portal é rematado por frontão e encimado por uma grande cruz.

Ao cruzar o portal de entrada, Beatrix fez uma genuflexão. Em seguida ergue-se e convidou Fitz a acompanha-la até os bancos mais próximos do altar, onde ajoelhou-se ao lado dele, para fazer suas preces silenciosas de gratidão.

Àquele horário a igreja estava praticamente vazia, e não havia ninguém para interromper-lhes as meditações.

_________________
Fitzwilliamdarcy


Ele como das primeiras vezes que saíra com Beatrix observava cada ação dela. Acompanhando tudo que ela fazia. Mesmo com aspecto em sua face de cansaço ela estava linda como sempre.

Ele pedia a Jah proteção pela volta para casa e não tinha palavras pela agradecer a volta de Beatrix e o fato de ter encontrado com ela assim que ela pisou em terras portuguesas.


_________________
Beatrix_algrave


Beatrix fez suas preces de gratidão a Jah. Tinha muito que agradecer por ela estar ali viva e bem e por nenhum mal ter acontecido aos seus companheiros de viagem. Pediu pelas almas dos que morreram no naufrágio e até agradeceu pelo mau humor de Gennaro ter lhe salvo a vida. Quando se diz que há males que vem para o bem, essa é de fato uma verdade.

Agradeceu por estar ali com Fitz que era uma companhia sempre agradável e gentil para com ela e de quem ela gostava muito.

Parecia que Jah sempre provinha o melhor e ela era grata por tudo. Mesmo os seus problemas e sofrimentos não lhe eram um fardo, pois Ele dava-lhe força para suportá-los e superá-los.

Esperava que suas primas estivessem bem, assim como suas amigas tão queridas do atelier. Havia bastante para agradecer em suas preces e por isso se demorou um pouco.

Apesar de cansada, o rosto de Beatrix transmitia paz de felicidade. Ela parecia muito tranquila.

Quando terminou, ela sentou-se no banco da igreja e aguardou que Fitz terminasse também suas preces. Ao ver que ele terminara, convidou-o a acompanhá-la.

- Vamos?

Assim, os dois retornaram do passeio e Beatrix retirou-se para descansar.

_________________
See the RP information
Copyright © JDWorks, Corbeaunoir & Elissa Ka | Update notes | Support us | 2008 - 2020
Special thanks to our amazing translators : Dunpeal (EN, PT), Eriti (IT), Azureus (FI)