Afficher le menu
Information and comments (0)
<<   1, 2   >   >>

Info:
Unfortunately no additional information has been added for this RP.

Diaconização de Dom Pascoal Howard Próspero

Kalimetro
Está um belo dia na Capela de Portugal em Roma e os sinos começam a tocar, anunciando a diaconização que se irá realizar.



O Padre de Leiria chega da sacristia e abeira-se do altar onde se prepara para iniciar a diaconização de Dom Pascoal Howard Próspero.
Talitasx
Talita que esperava a dias o anuncio da diaconização de Pascoal, coloca seu melhor vestido para ir ate a Capela de Portugal em Roma, era um dia muito especial pois seu afilhado estaria indo mais próximo da luz, Talita sempre desejou e aconselhou seu afilhado para o caminho da verdade e da luz. Entrou na capela e se sentou no primeiro banco, não iria perder nenhum momento da cerimonia, estava orgulhosa do seu afilhado predileto.
Enquanto não começava ela ficou ali rezando pelas almas dos infiéis...
Verbus Viriatus d'Coimbra
Dom Verbus que havia recebido o convite para a diaconização do filho de seu grande amigo Dom Rodolfo chega a Capela de Portugal em Roma para prestigiar a cerimônia, vira Dom Pascoal se tornar um homem e ficava muito feliz de vê-lo atingir mais esta conquista. Após benzer-se, Dom Verbus observa Dama Talita tomando assento e conhecendo-a pede licença e senta-se no mesmo banco da encantadora dama.
Hgomes
Hugo chega à capela para a cerimônia do irmão que acabara de conhecer. É a primeira vez que põe os pés numa igreja, tudo é novo e chama sua atenção.
Sentindo-se um pouco deslocado, cumprimenta os presentes e senta-se no primeiro banco que encontra vazio.
Beatrix_algrave
Beatrix ficou muito feliz e honrada com o convite da diaconização do senhor Pascoal. Era sempre bom ter pessoas comprometidas dedicando-se à igreja.

Ela compareceu a capela acompanhada de seus filhos Merlis e Faelnando, quanto ao seu esposo Fitz, ele chegaria depois.

Ela entrou na capela e sentou-se em um dos primeiros bancos e ficou aguardando em oração o início da cerimônia.
_________________
John_of_Portugal
Dom John recebera com bastante alegria o convite do Dom Pascoal a assistir à sua diaconização. O Duque envergava as suas melhores roupagens e ostentava um grande colar de ouro. O grosso fio era constituído por várias peças em forma do brasão dos Sousa Coutinho e pendurado nele estava um medalhão com a forma do brasão do Ducado de Bragança. Dom John cumprimentou a Dama Beatrix: - Caríssima Dama cada dia que passa a Dama torna-se mais semelhantes a uma bela rosa. Aproveita também para lançar por entre um largo sorriso um pequeno motejo à Dama Talita: - Ah! Aqui está a perdição dos homens e o devaneio dos deuses em forma de pessoa. Ao ver os dois jovens o Duque diz-lhe: - Penso que ainda não tivemos a oportunidade de nos conhecer particularmente. Talvez as Damas presentes nos possam apresentar.
_________________
Pascoal
O amanhecer daquele dia era mais especial para a vida de Pascoal. Não estava nervoso, nem preocupado, mas à ansiedade o tomava conta. Fiel a Jah, acredita que tudo só acontece com a vossa permissão, não acredita no acaso. E claro, se Jah permitiu que Pascoal pegasse aquele folhetim na porta da paróquia de Leiria, com as informações de uma tal Viana do Castelo, o que depois o levou a ficar durante um ano no Seminário, era porque já estava pré destinado a ser clérigo. Lembrou também do seu batismo em Leiria, que no dito dia aconteceu algo lamentável com seu cavalo, e quase que Pascoal perdeu a hora do batismo. Mas claro, lá estava sua madrinha que sempre via o lado bom das coisas. No final deu tudo certo, Padre Kalimetro que o batizou. O mesmo que agora iria ordená-lo Diácono.

Vestindo o branco tecido de cetim, com a faixa vermelha na amarrada na cintura, no anelar direito, o anel de ouro que ganhou da madrinha que era como uma mãe adotiva, entrou na capela para a cerimônia.

Seu irmão Hugo estava sentado logo na entrada, Pascoal vai a sua direção e o cumprimenta com felicidade: - Que bom que está aqui irmão! Logo mais nosso pai chegará também.

Mais à frente, indo em direção ao encontro do Padre Kalimetro, nos primeiros bancos vê Dom Verbus com a madrinha Dama Talita: - Fico muito grato pela vossa presença Dom Verbus, hoje é um dia muito especial para mim. Obrigado.

Então virasse para a madrinha, e dá um beijo na sua mão: - Madrinha! Ainda bem que está aqui, sua presença sempre ilumina mais essas datas.

Na mesma fileira da frente, vai até o encontro de Dama Beatrix para agradecer pela presença: - Dama Beatrix, obrigado pela vossa presença! Não conhecia seus filhos, devo dizer que estou lisonjeado. Obrigado por virem Faelnando e Merlis!

Ainda na fileira da frente, encontra também Dom John, e vai ao encontro para cumprimentá-lo: - Dom John! Obrigado por se fazer presente, está é uma data muito importante para mim. Sei que deve estar muito ocupado com as coisas do ducado, e por isso mesmo agradeço por tirar um tempo e comparecer a minha cerimônia.

Após cumprimentar todos, se direciona até o altar para encontrar com o Padre Dom Kalimetro: - Obrigado Padre Dom Kalimetro, por atender meu humilde pedido! Fico muito feliz por ser o senhor à realizar essa cerimônia. Ainda me lembro do batismo... E agora estamos aqui.

Feito isso, aguarda em silêncio o Padre Kalimetro dar inicio à cerimônia.
Esther7
Esther chega na igreja para participar da diaconização de seu amigo.
Ao adentrar, cumprimenta o amigo, lhe desejando que os céus o abençoe naquele dia. E alguns conhecidos presentes.
Ela vai então vê sua amiga Talita, e senta-se ao lado dela.
Lockee
Lockee chega à Capela de Portugal em Roma... Sentia-se lisonjeado por ter recebido do seu amigo o convite para a sua diaconização.

Em instantes ele adentra e já se depara com o seu amigo Pascoal no qual vai cumprimentar após tanto tempo que se passara sem ser verem.

-Parabéns amigo, que possa ser feliz em sua nova caminhada.

Procurando um lugar para se sentar ele avista Talita e Esther que também não se encontravam a muito tempo... o rapaz sentou-se próximo as amigas mas com o pensamento em sua amada Celly na qual ele havia deixando um bilhete avisando sobre a cerimônia que iria ocorrer e esperava que ela se fizesse presente.

-Boas Talita e Esther, como estão?
Cellestis_Pallas
Celestis chegava atrasada à cerimônia, pois tinha ido visitar seus primos recém casados no Paço dos Arcanjos, arredores do Porto. Era demasiado longe, de modo que estava exausta até mesmo para abrir o bilhete de seu amado, mas mesmo assim abriu:

"Encontra-me na igreja de Roma. Diaconização de meu amigo Paschoal. Um beijo."

Voltar das estradas e logo depois ir até Roma? Bem, vamos lá, ponderou. Não tinha opção. E queria, mais do que nunca, estar ao lado de Lockee, pois trazia as dores das saudades em seu peito. Também não seria prudente deixar à solta um rapaz tão belo e gentil, ainda que fosse numa igreja. Mas era o meio aristotélico o mais perigoso. Muitas diabinhas travestidas de anjo.

Banhou-se, perfumou-se, vestiu-se com os melhores trajes e saiu à procura de seu pajem Emengardo. Era estranho chamá-lo de pajem, já ostentava certa idade. Mas não havia outra função que melhor lhe coubesse.

Pôs-se a dormir durante todo o caminho. Ao parar à porta da igreja, Emengardo percebeu que sua maquiagem estava completamente desfeita e borrada.

- Meu Jah, o que faço eu?

Por sorte, o coche estava devidamente aparamentado com um espelhinho. Celly sacou de sua bolsa todos os cosméticos e refez o toucador. Estava tão angelical que poucos notariam o abatimento sob o pó facial que encobria sua indisposição.

Obviamente, a primeira coisa que fez foi procurar por Lockee. Mas estava tão sonolenta que todos os rapazes se pareciam um pouco com ele. Sentou-se ao lado de um estranho qualquer e disse-lhe:

- Boas, querido! Demorei?

Assustado, o homem quase deu um pulo e chegou a pedir-lhe desculpas por um mal entendido do qual mal tinha participado. Coradíssima, Celly saiu, sem dizer nada, nem mesmo uma desculpa. Era bom que ninguém tivesse notado aquela confusão!

Menos atabalhoada, finalmente encontrou seu querido namorado Lockee. Repetiu a frase.

- Boas, querido! Demorei?

http://i596.photobucket.com/albums/tt41/Miss_Bat/vestido%20Paschoal_zpseq4lav9d.png

Esperava que a cerimônia fosse curta, pois era capaz de adormecer na igreja e aquilo seria uma enorme falta de respeito para com o amigo de seu quase noivo. Ajeitava o vestido lilás, bordado com fios dourados. Atrás, uma pequena cauda, a conferir certo ar excêntrico no delicado fato.
Majarax
Rodolfo sentia-se orgulhoso, estava presente em um momento importante da vida de seu filho. Desde cedo Pascoal revelara vocação genuína para a igreja. O barão chega ao local vestido de acordo com a solenidade que o local exigia.

Durante o percurso reconhecera alguns rostos, cumprimenta Talita, Verbus e Esther: - Caros amigos! Que bom que vieram! É um momento único na vida de Pascoal! - em seguida, vira-se para Dom John: - Sua presença honra a todos nós, Dom John! Agradeço a presença em nome de toda família.

Dando continuidade ao percurso, cumprimenta. - Dom Lockee, satisfação revê-lo. Agradeço a presença dos dois! Em seguida cumprimenta Dama Beatrix: - É uma honra recebê-la! Assim como toda sua família! Mande meus cumprimentos ao Fitz!

Feito isso, dirige-se ao lugar reservado para si e senta-se ao lado de seu filho Hugo.
Kalimetro
-Sou eu quem me sinto honrado!!!

Respondia o Padre ao futuro Diácono de Leiria.

Os convidados levantam-se.

O Padre chama então a atenção dos presentes.

-Meus filhos, estamos reunidos aqui na Capela de Portugal em Roma para celebrar o Todo-poderoso. A nossa celebração não deve ser unicamente festiva mas também deve fazer-se com humildade e recolhimento.

-Sim, meus filhos, Nosso Senhor é a prova de nosso amor pelo nosso próximo. É com a nossa fé que poderemos esquecer as intenções ofensivas. É com a nossa fé que silenciaremos às pessoas habitadas pela Criatura Sem Nome. É pela nossa fé que convenceremos os não crentes para que venham orar connosco ao Nosso Senhor.

-Que Deus tenha misericórdia deles, que lhes perdoe todos seus pecados e lhes guie à vida eterna até a Luz. Amém. Hoje é um dia de júbilo pois vamos ordenar um diácono.


O Reverendo abriu então o Livro das Virtudes e leu:

Quote:
" Então, meus apóstolos, meus clérigos, a vos de seguir o caminho traçado para vos, a vos de baptizar aos que querem entrar no seio da comunidade dos fieis de Jah, a vos de ordenar sacerdotes aos que desejam dedicar-se por completo ao amor de Jah, a vos de ouvir em confissão aos que desejam ser lavados por seus pecados, a vos de castigar aos que no saberão mostrar-se dignos do amor de Jah e de predicar pelo menos cada domingo, para que a vontade do Altíssimo se cumpra. Vida de Christos XIII
Pascoal
Pascoal então se aproxima do Padre Dom Kalimetro
Kalimetro
O padre aproxima-se de Pascoal e pede que se ajoelhe e, enquanto isso pergunta.

-Pascoal Howard Próspero, prometes oficializar o teu cargo de diácono, de guiar os teus fieis na via da virtude traçada por Christos, nosso Messias?
Pascoal
Pascoal se ajoelha e diz:

- Eu Juro.
See the RP information <<   1, 2   >   >>
Copyright © JDWorks, Corbeaunoir & Elissa Ka | Update notes | Support us | 2008 - 2020
Special thanks to our amazing translators : Dunpeal (EN, PT), Eriti (IT), Azureus (FI)