Afficher le menu
Information and comments (0)
<<   1, 2, 3   >   >>

Info:
Unfortunately no additional information has been added for this RP.

[RP] - Quartel do Exército Real Português - ERP Montemor

Beatrix_algrave



O FORTE DA TORRE



O Forte da Torre é uma sólida construção de muros altos de pedra, situada na área oeste da cidade de Montemor. Ele protege essa parte da cidade que além da muralha fortificada é circundada por um denso bosque, algumas montanhas e o rio Montemor.

Por seu porte, a construção de linhas sólidas e duras pode ser avistada facilmente. Sua localização mais precisa é em frente à Fonte do Cavaleiro, ao final da Rua da Aldeia.

De suas altas janelas, se divisa ao horizonte o Monte da Fonte das Torres e o bosque próximo, que em meses de inverno fica às vezes coberto por uma densa neblina que lhe confere um ar feérico.

Suas linhas simples mas imponentes quebram um pouco o ar bucólico dessa parte da cidade, famosa por seus cataventos nos telhados das casas de seus moradores.

O brasão do leão dourado sobre fundo vermelho encimando o portão principal identifica que aquele é o Quartel do ERP na cidade de Montemor.

Ao entrar-se por seu portão de madeira depara-se com um amplo pátio para exercícios militares. Além desse pátio principal há outros dois, sendo o primeiro destinado ao estábulo e o segundo, aquele que dá acesso ao interior do forte, onde estão os salões interno e a ala residencial. É nessa ala que fica a sala de armas e a sala do Comando Local do ERP de Montemor.

Dentro do prédio, a decoração é simples e austera, comungando com o estilo sóbrio do edifício antigo. Há nas paredes internas algumas tapeçaria que ilustram cenas de cavalaria, e quebram um pouco a monotonia da decoração, tornando o ambiente mais acolhedor. Os móveis de madeira sólida e lavrada, também conferem uma certa nobreza ao ambiente, que ostenta ainda em suas paredes alguns trabalhos de heráldica militar e quadros retratando comandantes de outrora.

A sala do comando possui uma lareira que é acesa durante as noites mais frias de inverno. No meio da sala há uma mesa ampla sobre a qual estão depositados alguns papéis, metodicamente organizados. Em volta há diversas cadeiras, o que indica que se trata de uma sala propícia a reuniões. Há também sobre a mesa, um tabuleiro de xadrez em madeira, com as peças dispostas de uma partida em andamento.

Em um canto da sala, há um grande baú em madeira lavrada, e ao lado dele uma escrivaninha com material para escrever cartas e documentos.

A sala principal é iluminada por um candelabro antigo de ferro. Há também alguns candelabros de suporte espalhados por outros corredores e salas do edifício.

Um dos soldados do regimento do ERP, deixa o quartel com alguns cartazes para, para divulgar aos cidadãos montemorenses as atividade de Recrutamento do ERP.




_________________
Beatrix_algrave


A comandante acordou cedo naquela manhã e como de hábito, percorreu as cercanias montada em seu cavalo de pelagem castanho avermelhada.

Ao dar a volta no forte, foi com ingrata surpresa que se deparou com uma rachadura vistosa na coluna norte do prédio antigo.

Bem que a tempestade que caiu na noite anterior assustou-lhe e trouxe-lhe preocupação. Ao apear do cavalo e aproximar-se da fenda antes que pudesse fazer algo ouviu-se um estrondo e uma parte considerável da coluna veio abaixo.

Felizmente, além do assombroso susto que levou, não houve a si danos maiores, mas agora estava ali um problema que precisava ser solucionado. O sólido e antigo prédio do Forte da Torre não parecia mais tão sólido assim, e a sua antiguidade lhe cobrava um preço.

Era necessário buscar ajuda e reparar o quanto antes aquele dano, antes que isso afetasse outros pontos daquela estrutura da torre norte.

_________________
--Capitao.nascimento


Após uma viagem dificultada pela chuva torrencial, o Capitão Nascimento chega à Base Militar do Exército Real Português em Montemor. O Oficial era o responsável por coordenar a construção e manutenção das Bases em todas as povoações, a pedido direto da Marechal Amber de Camões e Flandres.

Com a capa molhada, mas a postura rígida e perigosa de sempre, Nascimento aproxima-se do sentinela que guarda as portas da Base.


- Bom dia, soldado. Sou o Oficial Capitão Nascimento, Oficial do Exército Real Português. Estou aqui para ver a Comandante Local, Mestre de Campo Beatrix.

Enquanto aguarda ser anunciado, o Oficial observa a impecável construção, de boa estrutura e resistente. Elogia mentalmente a escolha do local e murmura para si mesmo: "É...missão dada, parceiro, é missão cumprida."
Beatrix_algrave


O guarda em sentinela, recepciona o Capitão Nascimento com uma continência.

Sentinela: - Bom dia senhor. A Comandante Beatrix está vistoriando a conclusão da reforma da Torre Norte e a ampliação do anexo para alojamentos de viajantes.

Ele diz e já pede para que outro guarda encaminhe o Capitão Nascimento para o local da construção.

Soldado 1: - Acompanhe-me senhor.

O soldado vai com o capitão até o local que fica atrás do grande edifício de pedra. O trecho indicado em reforma está com a avaria consertada. A comandante confere com atenção o trabalho de restauração feito com a ajuda de alguns militares do ERP da região de Montemor que se propuseram a tal. Ao lado está a construção do anexo ao qual o sentinela se referiu, e que apesar da chuva está em prosseguimento.

_________________
Matahari


Acabada de chegar da cidade toda encharcada da chuva que se faz sentir, onde foi buscar material e contratar o pessoal necessário, Matahari repara que a sua CL estava concentrada na reforma.
Então vai ter com o Tenente Capitão para se apresentar.
Avistando-o, aproxima-se e estende-lhe a mão,dizendo:

-Caro Tenente, muito prazer em conhece-lo. Sou Matahari, sub CL de Montemor. Seja bem vindo. A CL encontra-se um pouco ocupada,mas logo que possa falará consigo. O que precisar,disponha.

_________________
--Capitao.nascimento


Nascimento não era o tipo que realmente esperava ser anunciado para entrar, logo, quando o sentinela dirigiu-se para ir chamar a Comandante Local, o Oficial acompanhou-o altivamente.
Passaram por uma parte da construção que havia sofrido uma avaria proveniente das chuvas e, bem ali, embaixo da água, estava a Comandante Local Beatrix, verificando pessoalmente os reparos. Isso agradou o Capitão. Gostava de gente assim, que tinha coragem de ficar na chuva para ter algo bem feito. Era bem como ele próprio.
Parte do trabalho do Oficial era verificar as instalações e a forma como os Comandantes estavam zelando pelas mesmas. Por este motivo ele permanece embaixo da cobertura, observando a Comandante Local cuidar de tudo. Não era como se ele estivesse parado não fazendo nada ou esperando cansado que ela o atendesse. De fato, vê-la na lida era uma avaliação melhor do que ela apresentar-se mesmo, por isso ele apenas esperou enquanto, com seus olhos treinados, analisou cada pedaço do local sem sequer mover-se.
A certa altura uma mulher o interpelou.

- Caro Tenente, muito prazer em conhece-lo. Sou Matahari, sub CL de Montemor. Seja bem vindo. A CL encontra-se um pouco ocupada,mas logo que possa falará consigo. O que precisar,disponha.

Nascimento observa a insignia nas vestes militares da Sub Comandante Local para saber sua patente e cumprimenta-a de volta, apertando-lhe a mão.

- Bom dia, Escudeiro Matahari. Agradeço a disponibilidade, estava aqui analisando a construção. Ficou realmente muito bom o prédio...e aquela pequena avaria ali não é problema algum. As chuvas sempre causam danos, mas este me parece bem reparável... vocês estão fazendo um bom trabalho por Montemor...

Mesmo enquanto conversava, o Oficial mantinha os olhos atentos. Tão atentos que viu bem quando um dos pedreiros que trabalhava no conserto solta a escada que segurava para que outro subisse para tentar tampar o rosto da chuva com elas. Nascimento interrompe a conversa com Matahari em um segundo e corre...em tempo para empurrar de volta a escada que começara a cair com o pedreiro lá em cima e bem na direção onde estava parada a Comandante Local Beatrix.

A confusão foi breve, mas o suficiente para assustar a todos. Nascimento esbraveja para que outro pedreiro segure a escada e pega o pedreiro imprudente que soltara a escada pelo colarinho.

- Você perdeu o juízo? Poderia ter matado duas pessoas, seu colega de trabalho e a Comandante Local de Montemor! Você é moleque! Me ouviu? MOLEQUE!!!- ralha enfurecido. O pedreiro nem se mexe, com os olhos arregalados. - Que que foi? Tá com medinho de uma bronca? Pede pra sair então, moleque! Pede pra sair! - o homem concorda com a cabeça e murmura um pedido de desculpas para Nascimento e outro para Beatrix Algrave, para quem ele olha assustado. - Agora volte ao trabalho e deixa de ser moleque!

Logo que o pedreiro se afasta, Nascimento, que mesmo sem querer já havia interrompido o trabalho da Comandante Local mesmo, aproxima-se e apresenta-se.

- Bom dia, Mestre de Campo Beatrix. Sou o Capitão Nascimento, Oficial do Exército Real Português. Perdão pela confusão, fiquei enfurecido pela imprudência do homem.



Curiosidade: O Capitão Nascimento é inspirado na personagem homônima do filme Tropa de Elite e usa suas principais frases de efeito como "você é moleque", "pede pra sair" e "missão dada, parceiro, é missão cumprida" como chavões para caracterizar seus role plays.
Beatrix_algrave
*É evidente que a confusão provocada pelo pedreiro e os gritos do capitão que procura pôr o operário nos eixos, chama imediatamente a atenção da comandante Beatrix, que estava realmente muito concentrada para dar-se conta do que estava prestes a acontecer. Felizmente, o pior fora evitado. Ela se vira e vê a figura do capitão na chuva, ao lado da Subcomandante Local de Montemor que felizmente retornara da missão na cidade. Refazendo-se da surpresa a comandante comenta já o cumprimentando e à Matahari.*

Beatrix:- Bom dia, Capitão Nascimento. De fato é difícil conseguirmos bons pedreiros hoje em dia. Agradeço a vossa intervenção. Veja que o senhor já conheceu a Subcomandante Matahari, meu braço direito aqui em Montemor. E a que devo a vossa visita?

*Ela pergunta enquanto tira uma mecha de cabelo, encharcada que desaba sobre o rosto, capa igualmente encharcada e botas sujas de lama. Que horas para receber gente de fora? É a sina, é a sina... Ela pensa mas se resigna.*

ooc: Conheço bem o filme e a fama do capitão Nascimento. XD

_________________
--Capitao.nascimento


Nascimento faz uma continência à Comandante Local escondendo uma risadinha por causa da aflição da mesma com uma mexa de cabelo molhado que teimava em cair na testa.

- Sim, conheci a Escudeiro Matahari. Ela muito gentilmente foi receber-me. Vim justamente para averiguar a Base Militar de Montemor, a mando da Marechal Amber. Ela me incumbiu de cuidar da manutenção das Bases existentes e construir nas povoações em que ainda não há.

Olhando em volta, ele continua.

- Gostei muito do que fizeram aqui. O lugar é bem localizado, boa construção. Alguns problemas pontuais é comum haver - diz apontando o local da avaria. - Como encontraram este local?
Beatrix_algrave
Beatrix: - Entendo. Felizmente aqui já temos nosso Quartel. Quanto à localização esse forte já existia. Apenas o adaptamos para as necessidades do ERP, era uma antiga fortaleza romana. A posição a Oeste é a mais vulnerável da cidade pois por conta do bosque, permitiria o avanço de tropas inimigas em oculto, e também é aqui que ficam as duas estradas mais movimentadas e a entrada principal da cidade à sudoeste. A localização dá uma visibilidade perfeita de ambas. A torre norte e a torre sul nos permitem monitorar as outras estradas também. É uma localização estratégica. Os antigos romanos bem sabiam disso.

*A chuva felizmente cessa enquanto a comandante Beatrix dá suas explicações sobre o Forte da Torre.*

Beatrix: - Temos muito transito de viajantes. Inclusive do próprio ERP. Por conta disso estamos construindo um alojamento para receber militares em visita à cidade.
_________________
--Capitao.nascimento


Nascimento escuta atentamente a explicação da Comandante enquanto observa tudo o que ela vai falando, as estradas realmente estavam próximas, a entrada da cidade, tudo de acordo.

- Sim, é um excelente lugar. Sábios romanos.

A chuva cessa, finalmente, e torna a conversa mais fácil. O Capitão adora a ideia da construção de um alojamento.

- Essa é, sem dúvidas, uma excelente ideia. Assim nossos irmãos de armas podem poupar o dinheiro que pagariam em uma hospedaria qualquer. Muito bem pensado, Comandante. Um pedido: poderiam me mostrar as instalações da Base? Só vi a parte exterior do prédio.
Beatrix_algrave
*A comandante Beatrix atende prontamente o pedido, depois de solicitar que Matahari continue vistoriando a construção no seu lugar.*

Beatrix: - Sim, claro, mostrarei a parte interna. Tudo foi adequadamente adaptado, mas temos realmente o privilégio de ter alicerces sólidos que facilitaram a construção. Me acompanhe por favor. Enquanto isso, a subcomandante Matahari vai vistoriar a obra na minha ausência.

*Ela diz, cumprimenta Matahari em agradecimento e vai conduzindo o Capitão Nascimento para a entrada do prédio. Ao passarem pelo portão principal, o capitão se depara com um amplo pátio para exercícios militares. Além desse pátio principal há outros dois, sendo o primeiro destinado ao estábulo e o segundo, aquele que dá acesso ao interior do forte.*

Beatrix: - Esse pátio maior é para nossos exercícios militares. Ali fica nosso estábulo e do outro lado o acesso a parte interna do castelo. Incluindo deposito de armas, sala de comando e a ala residencial. É melhor deixar o seu cavalo aqui para que seja alimentado e cuidado, enquanto prossegue com a vistoria.

*Beatrix sugere, e deixa que ele observe a tudo que queira no interior do forte, apenas guiando a visita. A comandante está tranquila, pois dentro tudo está em perfeita ordem.*
_________________
--Capitao.nascimento


Antes de seguir a visitação, Nascimento agradece a Escudeiro Matahari pela gentileza.

- Muito obrigado, Sub Comandante. Foi um prazer conhecê-la, espero voltar a vê-la em breve. - diz beijando-lhe a mão, já que, podia ser um soldado firme, mas não era um troglodita e sabia ser cavalheiresco.

O Capitão acompanhou Beatrix e seguiu seu conselho de deixar seu companheiro "01" com o cavalariço.

- O espaço do pátio é excelente, gostei muito. Já podemos seguir.
Beatrix_algrave
*Chama o cavalariço para tratar da montaria do capitão e então prossegue.*

Beatrix: - Como o senhor preferir, me acompanhe.

*Como ele já concluiu a vistoria na parte inferior do forte, o conduz através do pátio secundário para a parte interior subindo a escadaria que dá acesso aos salões internos. Dentro do prédio, a decoração é simples e austera, comungando com o estilo sóbrio do edifício antigo. Há nas paredes internas algumas tapeçaria que ilustram cenas de cavalaria, e quebram um pouco a monotonia da decoração, tornando o ambiente mais acolhedor. Os móveis de madeira sólida e lavrada, também conferem uma certa nobreza ao ambiente, que ostenta ainda em suas paredes alguns trabalhos de heráldica militar e quadros retratando comandantes de outrora. A sala de armas fica no pavimento posterior, e contém espadas, escudos, machados e algumas peças de armadura e raras peças de artilharia.*

Beatrix: - Essa é nossa sala de armas. Precisamos repôr algumas peças, mas creio que o senhor está mais interessado no prédio em si. Adaptamos mas tentamos conservar o estilo, que a meu ver transmite muita solidez.

*Ela comenta e já o conduz para a sala principal, se ele permitir.*

Beatrix: - Essa é a sala do comando local. Aqui nos reunimos sempre que preciso. E é aqui que trabalho a parte documental.

*A sala do comando possui uma lareira que é acesa durante as noites mais frias de inverno. No meio da sala há uma mesa ampla sobre a qual estão depositados alguns papéis, metodicamente organizados. Em volta há diversas cadeiras, o que indica que se trata de uma sala propícia a reuniões. Há também sobre a mesa, um tabuleiro de xadrez em madeira, com as peças dispostas de uma partida em andamento.

Em um canto da sala, há um grande baú em madeira lavrada, e ao lado dele uma escrivaninha com material para escrever cartas e documentos.

A sala principal é iluminada por um candelabro antigo de ferro. Há também alguns candelabros de suporte espalhados por outros corredores e salas do edifício. *
_________________
--Capitao.nascimento


Nascimento vê os detalhes e enfeites, mas presta realmente atenção à estrutura, as paredes, a divisão dos cômodos e a praticidade do local.

- Corredores largos. Isso é importante, para casos de necessidade de evacuação do local. Muito bom. - comentou numa hora.

Passando à sala de armas, concorda com o que a Comandante Local diz.

- Sim, é estrutural minha atenção. Mas aproveito para elogiar a organização da sala, é de fácil acesso e os soldados encontrariam seus instrumentos rapidamente, isso agiliza a ação em casos de ataque.

Tudo está em seu agrado e de acordo com o que o Exército Real Português precisa.

Ao chegarem à sala de comando, Nascimento toma a palavra.

- Muito bem, Comandante. Acho que terminamos a visitação. Só posso elogiar. Tudo está de acordo com o que o Exército Real Português necessita e, claramente, sua pessoa e a da Sub Comandante são muito capacitadas para estarem à frente. Tenha cuidado com as avarias em chuvas: são comuns, mas se persistir causando problemas pode ser um problema mais grave e que necessite pedreiros mais experientes. Acho que pode dar início a construção do alojamento de visitantes logo que queira. Se precisar de ajuda não hesite em me enviar uma carta e virei prontamente para ajudá-la. Devo seguir viagem para Santarém, onde sou esperado com urgência, mas estou sempre a apenas um dia de cavalgada firme quando de mim precisar.

Depois de descerem para o pavimento inferior, o Capitão despede-se de Beatrix Algrave com um beijo na mão direita.

- Nos vemos dentro de algumas semanas, Comandante. Até mais ver e que Jah a acompanhe sempre.

O Oficial monta seu cavalo, "01", e diz-lhe dando um tapinha no pescoço: - É, vamos à estrada, amigo. Prometo que em Santarém pernoitaremos. Simbora 01, porque missão dada, parceiro, é missão cumprida.
Beatrix_algrave
*Beatrix apenas se despede e deseja ao Capitão uma boa viagem.*

Beatrix: - Desejo-lhe uma boa jornada, e que Jah o acompanhe. Precisando, cá estamos também ao vosso dispor.

*Acompanha-o até a saída do prédio.*
_________________
See the RP information <<   1, 2, 3   >   >>
Copyright © JDWorks, Corbeaunoir & Elissa Ka | Update notes | Support us | 2008 - 2020
Special thanks to our amazing translators : Dunpeal (EN, PT), Eriti (IT), Azureus (FI)