Afficher le menu
Information and comments (0)
<<   1, 2, 3, 4, 5, 6   >   >>

Info:
Unfortunately no additional information has been added for this RP.

[RP] Investiduras

Beatrix_algrave


- Salve os Reis!

Beatrix proclamou junto à multidão. Depois que houve a aclamação dos reis de Portugal os arautos reais anunciaram em fanfarra com trombetas ao rei e à rainha coroados e deu-se prosseguimento ao próximo evento da programação da Cerimônia Real.

- Todos os presentes estão convidados para adentrar os salões do castelo onde haverá o juramento e investiduras dos nobres portugueses, seguido do banquete e do baile reais de celebração.


Beatrix anunciou em voz solene assim que a fanfarra cessou. Ela mesma dirigiu-se a entrada dos salões. A guarda real se posicionou para que o rei e a rainha e sua comitiva seguissem em segurança para o salão real, em meio a multidão que ali se encontrava, acompanhando a cerimônia.

Após esse anúncio os portões dos jardins foram abertos e de lá um extenso tapete de fios em tons de vermelho e verde conduzia até a entrada do salão, onde o rei receberia o juramento dos nobres anunciados pelo Portugal Rei de Armas, Raphael Viana que seria responsável pela entrega das armas nobiliárquicas de cada um dos nobres que prestaria seu juramento e receberia a investidura do rei. Como já era noite, archotes iluminavam o jardim. Arranjos de flores decoravam o suntuoso salão e as mesas de banquete se achavam dispostas no recinto do salão e também no jardim. As mesas do salão interno eram destinadas a nobres e convidados especiais da Coroa, mas nos jardins todos sem distinção poderiam se banquetear nessa ocasião festiva. A guarda real estava atenta para quaisquer eventualidades e criados e arautos orientavam os convidados para ocuparem seus lugares no salão real do castelo.



Aqui mesmo neste tópico se dará prosseguimento aos eventos relatados de início dentro do cronograma previsto. Com o fim da cerimônia religiosa da coroação, dá-se início à Cerimônia de Investiduras dos nobres, de acordo com a lista de Sintra, seguido pelo baile e banquete real.

Todos que participaram da Cerimônia da Coroação poderão se fazer presentes nos referidos eventos. Nobres que participarão da Cerimônia de Investiduras e seus convidados poderão chegar sem problemas ao evento secundário mesmo sem ter manifestado presença antes. O mesmo vale para quem quiser participar do baile e do banquete, aberto a todos. Ou seja quem ainda não se fez presente, ainda pode registrar sua presença ao evento. Os juramentos dos demais nobres também serão feitos e terão lugar na cerimônia.

_________________
Yochanan


Algum tempo depois da cerimônia de coroação, tendo dado tempo suficiente para os convidados ingressarem ao salão, os monarcas de Portugal fazem sua entrada sendo anunciados por uma breve fanfarra.

Diante do trono, o rei disse:

-Agradeço a todos vós que compartem esta velada conosco neste dia de grande alegria e regojizo. Agora daremos inicio a um momento que muitos de vós aguardam a muito tempo e é meu dever desculpar-me a todos vós que hoje proferirão o vosso juramento, em nome da Coroa de Portugal, pelo atraso ao que foram sujeitos.

Após fazer uma breve pausa, o monarca português continuou:

- Hoje celebramos a Nobreza Portuguesa, sua dedicação ao nosso Reino, sua constante determinação e seu exemplo. Hoje celebramos a renovação quando novos cidadãos passam a fazer parte deste grupo que desde os tempos dos nossos primeiros reis e rainhas lideraram pelo exemplo e colocaram ao Reino acima de qualquer outro interesse. Agora peço-vos que abram espaço para que aqueles nobres que devam fazer seus juramentos o façam.


Fazendo um gesto ao Portugal Rei de Armas, seu sobrinho Raphael, que se encontrava ali próximo, para que iniciara o chamado dos nobres que prestariam seu juramento e receberiam suas armas, o Rei sentou-se no trono aguardando a que o primeiro nobre fosse chamado.

_________________
Raphael.viana


~♦~


Sorento e os dois pajens, já encarregados de preparar todas as armas que seriam apresentadas naquele dia, estavam cuidando das armas de cada nobre que ali seria investido, e trariam-nas em seu tempo. Com o sinal do monarca, o Portugal Rei de Armas levantou-se, tomando alguns segundos de silêncio, apenas para conferir a presença de todos. Continuou:

— O nobre é humilde e prostra-se perante o seu senhor. O nobre é humilde no uso de suas faculdades, devendo usá-las sempre para o bem do Reino e jamais para o seu proveito próprio, pois o nobre sabe que quando o Reino prospera, ele também prosperará.


A seguir o Portugal faz uma pausa, e convida, não dentre os agraciados, mas ao seu próprio lado no palanquim, a primeira nobre a ser investida.

— Dama Vivian Lara Viana, Princesa Real de Portugal, Baronesa de Póvoa de Varzim, minha senhora e minha mãe, é chegado o momento de fazeres o vosso juramento de nobre.


Code:
Entra o nobre a investir sem portar quaisquer armas de guerra ou heráldica, e ajoelha-se na almofada perante o monarca, com as mãos juntas frente a si.

 O nobre diz:

[i] Eu, (nome), juro obediência ao rei, Dom Yochanan Flavius Viana, e reconheço-o como o legítimo rei de Portugal. Juro defender ao Reino e as Leis que o regem, a proteger as instituições que o conformam e a contribuir sempre ao seu desenvolvimento próspero ainda que em detrimento próprio e jamais alheio.
Comprometo-me a lutar contra a malícia e a tirania, com todas as minhas forças, a usar humildemente o meu título, promovendo a paz no Reino e defendendo o povo das ameaças tanto internas como externas, sempre cultivando a nobreza de espirito, base para qualquer nobre.[/i]


Code:
Lista por ordem dos nobres que serão chamados ao juramento:

Dama Vivian Lara Viana (Vivian), Baronesa de Póvoa de Varzim
Dama Beatrix Algrave Nunes Henriques (Beatrix_algrave), Baronesa do Paço da Figueira
Dama Sarah Linden (Sarah_linden), Baronesa de Nossa Senhora da Vitória da Batalha
Dama Anna de Mello Bórgia Highlander Silva (Anokas),Condessa de Viana da Foz do Lima
Dama Talita França (Talitasx), Baronesa da Folgosa
Dama Bandida Miranda de Carvalho (Bandida), Viscondessa da Torre Bela
Dama Kukaa Monte Cristo (Kukaa), II Baronesa de Setúbal
Dama Katharinna Massolinni Crawlyn (Katharinna), Baronesa da Quinta do Ferro
Dama Khloeh Sophie Miranda Carvalho (Khloeh) - Baronesa da Fonte Nova
Dama Maria Elysa (Elysa.) - Baronesa de Alquerubim
Dom David d' Açor (David...), Conde de Cascais
SE Dom Palladio de Monforte (Palladio), Visconde de São Bento
Dom Capeside Telles de Menezes Camões (Capeside69 ), II Conde de Sintra
Dom Miguel Vilaça d’Alencar (Miguel) - II Barão de Monte Córdova, II Visconde de Monserrate. II Conde de Vila Franca
OBS: Se o nobre não postar a sua chegada indicando ausência na cerimónia, será anunciado o nobre a seguir.

_________________

Baronete da Casa do Infantado | Portugal Rei de Armas | Família Viana
Vivian


Com a cerimônia de coroação terminada, Vivian seguiu o casal real ao toque da fanfarra em direção ao salão, onde teria início a cerimônia de investidura dos nobres da qual também participaria, pois ali faria o seu juramento perante os reis, receberia suas armas, título e o seu feudo em retribuição aos serviços prestados ao reino.

O rei havia feito um pequeno discurso, indicando ao Portugal Rei de Armas que iniciasse o chamado dos nobres. Nisso, um jovem rapaz levantou-se da cadeira onde estava sentado e Vivian sorriu orgulhosa quando o viu: era seu filho Raphael. Naquele momento, uma seqüência de imagens lhe passou pela cabeça em alta velocidade, fazendo-a recordar de tudo que aconteceu durante a vida e que a levou a viver aquela situação atual junto da família. Era um marco histórico.

Ao ouvir seu nome ser chamado pelo próprio e amado filho, ela se encaminhou para frente do trono dos monarcas, ajoelhou-se na almofada aveludada que ali estava, entrelaçou os dedos frente a si e disse com alegria nos olhos e firmeza na voz:

- Eu, Vivian Lara Viana, juro obediência ao rei, Dom Yochanan Flavius Viana, e reconheço-o como o legítimo rei de Portugal. Juro defender ao Reino e as Leis que o regem, a proteger as instituições que o conformam e a contribuir sempre ao seu desenvolvimento próspero ainda que em detrimento próprio e jamais alheio.
Comprometo-me a lutar contra a malícia e a tirania, com todas as minhas forças, a usar humildemente o meu título, promovendo a paz no Reino e defendendo o povo das ameaças tanto internas como externas, sempre cultivando a nobreza de espírito, base para qualquer nobre.

_________________

♛ Princess Regent of Portugal - Countess of Porto ♛
Raphael.viana
~♦~

Após o juramento, Raphael prossegue, falando a todos os presentes:

- Damas e Cavalheiros, povo de Portugal, é hoje um dia auspicioso, pois homenageamos aqueles que muito fazem pelo Reino. O Nobre sonha, todo nobre é um sonhador. Ele sonha com um Reino melhor, com um Reino mais forte. Não há nobreza sem sonhos. A nobreza é antes todo um carácter do espirito do homem e é sem desistir de seus sonhos que o nobre avança, cultivando a nobreza de Jah em suas virtudes. E assim é a Dama Vívian Lara Viana, Baronesa de Póvoa de Varzim.

Fazendo uma vénia à baronesa, o Portugal Rei de Armas aguarda o rei que se ergue, enquanto Sorento aproxima-se trazendo, numa almofada, a coroa que será depositada na cabeça de Vívian, um arco de ouro, engastado de pedrarias e rodeado por filigranas de pérolas. Outro dos pajens traz as armas da nobre, ainda encobertas por uma peça de tecido.

_________________

Baronete da Casa do Infantado | Portugal Rei de Armas | Família Viana
Khloeh
Khloeh que assistia a cerimônia de coroação junto aos seus, escuta que em outra cerimônia se dará ali.

Fala ao seu agora noiva, que precisam se dirigir mais para frente, pois é provável que seu nome seja chamado.

Após se acomodarem, Khloeh e Tiryon assistem o início da investidura de Dama Vivan, quando a mesma realiza seu juramento.

Khloeh já começa a imaginar o orgulho em que sua falecida mãe teria ao vê-la num momento como este.

_________________

"Amar é sofrer um instante de saudade, é sentir um segundo de ciúmes, é viver um momento de paixão..."
Exército Real Português
Elysa.
Elysa havia seguido com seus amigos para o salão onde irá decorrer a cerimónia de investiduras. Tal como alguns dos amigos com quem se encontrava, também ela havia sido agraciada com um título recentemente, pelo que seu nome provavelmente seria também chamado. Este seria, sem dúvida um dia especial. Sorrindo feliz, senta-se junto a Dom Capeside que com ela entrara para assistir ao juramento dos valorosos nobres. Em sua cabecinha corriam mil pensamentos: serei chamada também? Terei que jurar por Jah?. Percebendo que a cerimónia começara e a primeira nobre fazia seu juramento, aquieta-se e presta atenção a todos os movimentos da elegante dama, aprendendo com ela para não passar vergonhas depois.
_________________
Beatrix_algrave


Beatrix estava desde o início, cumprindo seu papel enquanto Senescal, ainda que trajasse seu uniforme de gala do Exército Real, pois tomara parte no cortejo do rei Yochanan acompanhando a comitiva real, naquele dia.

Após a cerimônia religiosa, Beatrix conservara o seu traje militar e seguira acompanhando a comitiva, ainda que antes de fazê-lo checasse alguns detalhes necessários e que lhe cabiam enquanto Senescal. Não poderia haver nenhuma falha, nem quanto à segurança nem quanto à recepção aos nobres e convidados.

Ela tomou seu lugar no salão, e acompanhou atenta à Cerimônia de Investiduras que agora era presidida por Dom Raphael Viana, o Portugal Rei de Armas. Após o discurso do Rei Yochanan, principiaram os juramentos.

Beatrix acompanhava a tudo em silêncio. Ela também juraria naquela cerimônia e por isso se desfizera temporariamente de suas armas militares e também de suas insignias de cargo.

Ela estava pensativa, Beatrix ainda lembrava vivamente da última cerimônia de investidura que ocorrera e que fora organizada e presidida por ela, com toda a dedicação possível. Lembrava exatamente da forma como fora tratada e de como muitos se comportaram em meio às investiduras. Na ocasião ela era a Portugal Rainha de Armas, e a Rainha de Portugal era SMR Marih Viana, que JAH a tenha.

Marih não estava mais ali, a rainha era morta, mas Beatrix estava novamente diante de um Viana, ou melhor dizendo, de três, visto que ali estavam o rei S.M.R. Yochanan Viana, a princesa S.A.R. Vivian Viana e o jovem Portugal Rei de Armas, Dom Raphael Viana.

Ainda que o título que Beatrix receberia naquela cerimônia lhe fosse indicado pela laboriosa e dedicada Dama Talita, em retribuição especialmente aos seus serviços prestados ao condado de Coimbra, ele refletia também sua dedicação ao reino de modo geral, durante um longo tempo, incluindo seus serviços aos reis que ela servira em diferentes momentos. Ela agradecia profundamente à Dama Talita pela honra concedida, mas agradecia também em pensamentos à sua querida Rainha Marih, de coração, por tudo que enfrentara ao lado dela, com coragem e principalmente com honra. Seus olhos ficaram levemente marejados enquanto ela assistia o juramento de Dama Vivian.

_________________
Capeside69


Capeside enquanto estava sentado tenta recordar-se da ultima vez que estava naquela situação, já tinha sido a algum tempo e o engraçado é que o nervosismo era o mesmo. Entretanto a Dama Elysa senta-se ao seu lado, cumprimenta a dama com um sorriso e olha em sua volta tentando observar quem estava presente. Ele repara que a dama Elysa aparentava nervosa e sussurra-lhe uma palavras.

-Fique tranquila, vai correr tudo bem.

Ele volta a sorrir e presta atenção à cerimonia.

_________________
Milene


Após uma cerimónia de coroação bastante enfadonha, Milene acompanhou os demais presentes até ao salão onde a cerimónia de investidura dos nobres do Reino de Portugal teria lugar. A jovem mulher escolheu um lugar recatado, próximo das portas e longe das luzes da ribalta, sendo que se poderia escapulir daquele lugar assim que lhe fosse mais conveniente sem chamar grande atenção sobre si.

_________________
Anokas


Anna chega com o seu marido ao Paço da Ribeira,para a cerimónia de Investiduras.
Depois de pedir ao seu cocheiro que alimente os cavalos e que ele próprio descanse da longa viagem....entra no edifício.
Percorre o longo corredor iluminado com dezenas de velas,dando-lhe assim uma vivacidade própria do momento,e pára em frente de um majestoso salão ,onde já se encontram alguns dos convidados.
Anna olha para o marido , esboça um sorriso, e entra...
Caminha lentamente enquanto vai cumprimentado os presentes com um ligeiro aceno de cabeça.
Quando chega perto de Sua Majestade saúda-o respeitosamente , curvando-se perante ele , indo de seguida sentar-se junto do seu marido nas cadeiras que lhes são indicadas .
Ao se acomodar Anna , repara que nao muito longe se encontra Milene ... acena-lhe discretamente , demonstrando bastante agrado pela sua presença !
Anna fica então,aguardando que o seu nome seja pronunciado pelo Rei de Armas , Dom Raphael.

_________________
Miguel
A cavalgada do jovem Vilaça até ao sumptuoso Edificio do Paço fora rápida, chegando atempadamente à cerimónia de Investidura que iria decorrer e em que o próprio seria inesperadamente agraciado com todo um leque de títulos. Não que necessitasse de grande riqueza, já que tivera a sorte de aqueles que o criaram e a quem chamara de pais lhe terem proporcionado uma vida sem as dificuldades do populacho.

Porém, era como comumente alguns avarentos parasitas o designavam, um bastardo. Bastardo esse que agora quebrava todos os preceitos sociais e ascendia ao estatuto de Alta Nobreza, o que em boa verdade lhe proporcionava um imenso sentimento de proeminência, disfarçado por uma falsa modéstia.

Desceu da montaria deixando que um, dos inúmeros servos de poucos afazeres que se encontravam póximos, pudesse reconduzir e acomodar o cavalo no recinto que era destinado a todos os equídeos que transportaram os convidados.

Vaidoso e indiscreto, trajava um casaco de veludo que se sobreponha à acolchoada camisa negra, condizente com a restante indumentária e cujos punhos eram ornamentados com pequenos bordados de ouro. À cabeça a imprescindível boina de lã que trouxera da terra natal.

Sacudiu a roupa uma última vez e sem prestar atenção aos que se encontravam à sua volta, entrou no interior do local onde já se encontravam alguns presentes, cujos rostos pouco lhe eram familiares. Chamou-lhe a atenção apenas a Condessa de Viana e a bela Milene, com quem se cruzara algumas vezes nas Tavernas Portuenses.

Dirigiu-se e tomou então lugar perto daquela que tomara a liberdade de apelidar de Avó, pela amizade que mantivera com o seu verdadeiro pai e por ter dado a conhecer ao jovem Vilaça toda a história e vida da cidade Invicta.

_________________

Barão de Monte Córdova || Visconde de Monserrate|| Conde de Vila Franca
Yochanan


O monarca não alterou sua expressão apesar de sentir profundo orgulho da irmã naquele momento. Escutou atentamente, com o rosto sereno e a mão junto à de sua esposa e rainha.

Levantou-se do trono quando sua irmã terminou de proferir o juramento e falou contendo um sorriso que teimava em infiltrar em suas palavras:

- Eu, Yochanan Flavius Viana, Rei de Portugal, aceito o vosso juramento Baronesa de Póvoa de Varzim e de hoje em diante lhe outorgo o direito a usar os títulos e a gerir em meu nome as terras que lhe são de direito.


Tomando a coroa que lhe trazia Sorento, ergueu-a acima da cabeça de Vivian às vistas de todos e depositou-a na cabeça de Vivian, o dourado do ouro mesclando-se com o dourado dos cabelos da Viana. Enquanto isso o outro pajem se aproximava e o monarca então disse enquanto revelava as armas encobertas.

- Ergue-te agora, Baronesa de Póvoa de Varzim, e contempla as vossas armas! Exiba-as com orgulho e que elas jamais se manchem!

_________________
Raphael.viana
Após as palavras do Rei, o Portugal Rei de Armas então fez uma vénia à nobre e apresentou a ela as suas armas trazidas pelo pajem e as entregou à nobre para que as recebesse e a cerimónia prosseguisse.


_________________

Baronete da Casa do Infantado | Portugal Rei de Armas | Família Viana
Katharinna


Katharinna que havia sido convida para comparecer a coroação, estava nervosa pois na mesma cerimônia seria agraciada com um título. Então ela parte para a cerimônia na companhia de seu namorado Verbus.
Com as mãos geladas sentia nele o conforto daquele momento. Olhando nos olhos dele e segurando em suas mãos, ela fala:

Obrigada meu amor! Obrigada por estares aqui comigo. Te amo muito!
See the RP information <<   1, 2, 3, 4, 5, 6   >   >>
Copyright © JDWorks, Corbeaunoir & Elissa Ka | Update notes | Support us | 2008 - 2020
Special thanks to our amazing translators : Dunpeal (EN, PT), Eriti (IT), Azureus (FI)