Afficher le menu
Information and comments (0)
<<   1, 2, 3   >   >>

Info:
Unfortunately no additional information has been added for this RP.

[RP] Elevação de Beatrix Algrave a Primeira Arquidiaconisa

Nreis


Está um belo dia na Sé de Braga e os sinos da Sé começam a tocar, anunciando o cerimónia que se irá realizar.





O Arcebispo NReis Ribeiro de Sousa Coutinho chega à Sé no seu coche com o brasão dos Sousa Coutinho, transportado por uma bela parelha de puros-sangue lusitanos de pelagem alva. Ao sair, é recebido por uma madre que o avisou que tudo estava preparado para a cerimónia, pelo que o Vice-Primaz adentrou apressadamente o nártex da igreja, de modo a verificar todos os preparativos antes da chegada dos convidados, dentre os quais se esperavam contar diversos Nobres e figuras emblemáticas do Condado, para vir assistir à elevação da Dama Beatrix Algrave Nunes Marques Henriques à posição de Primeira Arquidiaconisa da Circunscrição Eclesiástica de Braga.


Quote:
A cerimónia iniciar-se-á dentro de 3 dias, de modo a dar-se tempo a todos de chegar.

_________________
Izabelladrago


Izabella chega a Sé Braga com sua Aia e também por Margharida para assitir à cerimonia de elevação de arquidionisa da amiga Bea tenta se mostrar bem comportada mas olha para o padre Nreis e mais forte que ela e mete língua de fora fazer uma carranca....

_________________
Nicollielo
O Senescal Diocesano chega na Sé de Braga para assistir a elevação de sua amiga e agora companheira de trabalho. A Catedral estava quase vazia, Nicollielo vai até um dos primeiros bancos, se ajoelha e faz uma breve oração, em seguida senta-se e aguarda o inicio da cerimonia.
_________________
Senescal Diocesano da Arquidiocese de Braga | Alcaide-mor de Chaves | Padre de Chaves |Secretário Lusófono dos Registos Romanos | Capelão da Capela de São Karel | Assistente de Planeamento de Chaves | Mentor-chefe de Chaves
Davidw_cadu


David, chega à Sé para assitir à cerimonia de elevação de arquidionisa de sua colega no Conselho, vê que tem pouca gente e trata de sentar em um dos lugares de trás.
Beatrix_algrave


Beatrix deixou o Paço da Figueira o mais cedo que conseguiu, uma vez que pouco antes de partir, notara que uma das rodas da carruagem estava muito frouxa. Felizmente, essa percepção evitou um acidente mais grave que poderia ocorrer durante o trajeto. Quando por fim terminaram o conserto, ela tratou de seguir para a residência dos Henriques, onde Fitz já a esperava. Então, ambos seguiram para a Sé de Braga.

Mesmo assim, ela chegou cedo para a cerimónia, ela não se perdoaria de modo algum caso se atrasasse. Além do esposo Fitz, Beatrix também estava acompanhada por Clotilde e Laurinda, que estiveram com ela no Paço da Figueira, onde a estavam auxiliando a arrumar a nova biblioteca.

Lamentavelmente, seu querido cunhado Samuel estava em viagem de negócios, em Valladolid.

Ela adentrou a catedral de Braga trajando um vestido branco com discretos detalhes em dourado e bordado com pérolas nas mangas e golas. nos cabelos estava um attifet francês.

Beatrix cumprimentou seu colega conselheiro Davidw Cadu, o irmão Nicollielo que era o novo Senescal Diocesano, e a sua amiga Margharida que trouxera a pequena Izabella.

- Fico feliz que tenham vindo. É realmente uma satisfação tê-los aqui.

Mais adiante viu o Arcebispo Nreis que fazia últimos preparativos.

_________________
Verbus


Dom Verbus acompanhado de Dama Katharinna chega a Catedral da Sé de Braga para prestigiar a elevação da amiga de longa data Dama Beatrix. Ajudados pelo cocheiro descem da pequena carruagem e se dirigem calmamente até ao adro da igreja.

Com delicadeza Dom Verbus segura a mão de Dama Katharinna para que ela possa subir os degraus até chegarem a porta principal da imponente Catedral. Ao passarem pela porta se benzem e seguem até ao altar para rezarem um credo em intenção dos grandes lusitanos que já lutaram naquelas terras.

Após a oração Dom Verbus convida Dama Katharinna para se sentar em um dos primeiros bancos para assistir a cerimônia.

Observe a natureza dessas esculturas Katharinna, obras maravilhosas que reproduzem a santidade dos homens perante Jah, observe ... Disse Dom Verbus com um olhar curioso sobre as estátuas.

_________________
"In decus ortibus" - Em honra dos antepassados
Katharinna


Katharinna que fora convida por Dom Verbus para acompanha-lo na cerimônia, resolve então aceitar por ter um carinho pela dama Beatrix.

Após ele lhe convidar para sentar e de explanar algumas observações sobre o lugar, ela lhe dirige a palavra...

Verbus, boa essa sua observação. O local é magnífico e tem um significado bastante importante para todo esse reino. Sinto-me bem dentro dessas paredes.

Dando um sorriso de satisfação e alegria por estar ali ao lado dele.
Vivian


O céu azul e límpido indicava uma bonita manhã veranil, com uma brisa agradável que dispersava o calor. O coche havia parado em frente à Sé de Braga, onde Vivian desceu já caminhando em direção à fonte para molhar os pulsos. Aquela sensação lhe trazia um pouco mais de conforto e por breves momentos esqueceu-se do espartilho tão firmemente apertado na cintura.

A Princesa Real entrou na igreja acompanhada de um pequeno séquito e reparou que o local estava delicadamente ornamentado com arranjos de flores do campo, que trazia ao ambiente um aroma aconchegante, que quase encobria por completo o cheiro das velas acesas.

Com o terço na mão e fazendo o sinal da cruz, avançou pelo corredor central até a nave principal, onde avistou alguns amigos e a grande agraciada do dia: Dama Beatrix, a quem muito estimava. Aproximou-se dela com um sorriso estampado no rosto e disse:

- Dama Beatrix, que grande dia! Fico muito feliz de poder presenciar esta cerimônia única e histórica! Meus parabéns! É mais do que merecido.

Tendo trocado algumas palavras com a amiga, Vivian encaminhou-se ao assento reservado para a Princesa Real. Ela queria ter se aproximado do Vice-Primaz para lhe pedir a bênção e cumprimentá-lo, mas como ele ainda tratava dos preparativos finais, ela limitou-se a acenar para ele para não atrapalhá-lo.

_________________

♛ Royal Princess of Portugal - Countess of Porto - Baroness of Póvoa de Varzim ♛
Ltdamasceno


Após receber o convite, o mouro tomou algum tempo para se dirigir até a Catedral, uma vez que ainda estava com dores de cabeça devido a leitura incessante dos livros de teologia. - Que vergonha e orgulho meu pai teria de mim. Disse a si mesmo, sorrindo. Ao terminar os estudos e concluir algumas das lições, pediu a Manoel que fosse preparar os cavalos e foi trocar de roupa, vestiu um casaco de pele de urso, acompanhado pela a medalha de Aristóteles, que havia recebido durante o seu batismo. Anexado a medalha, estava o totem que recebeu de presente pelo Arcebispo Nreis.

Partiram rumo a Braga apenas Damasceno e Manoel, sem nenhuma novidade pelo o caminho, exceto alguns viajantes e gente estranha que já era de costume.

Ao chegar em Braga e logo depois, na praça da Sé, desceu do cavalo, retirou o seu casaco e entregou a Manoel que iria levar junto dos cavalos ao estábulo e depois iria aguardar o seu senhor na saída da Catedral. Ao adentrar, prestou uma vênia aos presentes e a Princesa Real, no qual ele tinha grande admiração. Aos velhos conhecidos que ali estavam, notou a face de pessoas que nunca mais havia visto e as cumprimentou silenciosamente ao passar pelo o local, falando apenas quando encontra-se Beatrix.


- Que a Luz da estrela lhe guie. Disse o mouro prestando uma longa vênia a Beatrix. - Desejo que este dia simbolize a honra que já lhe é digna por tudo que já alcançastes ao longo da vida. É mais do que merecido. Disse, repetindo as últimas palavras da Princesa Real.

_________________

"E eu testemunharei que não há ninguém digno de adoração, exceto o Único."
Abigayl


A Baronesa de Mogadouro e Légat da diocese de Braga chega a cerimónia um pouco atrasada.
Olhando os presentes vê alguns rostos conhecidos. Cumprimentando todos com um aceno de cabeça, Aby dirige se para um lugar mais recatado e fica a aguardar a cerimónia

_________________

"A lei da vida é simples: Quem não quis quando podia, não vai poder quando quiser!"
I Believed in You
Pedro24
o jovem Pedro chega na cerimonia e que foi convidado pela Beatrix que cumprimentoso outros convidados e senta um lugar
Beatrix_algrave


Beatrix foi cumprimentar outros convidados que foram chegando. Notou logo adiante Dom Verbus e Dama Katharina que pareciam encantados com a arquitetura da Sé de Braga, que era realmente muito bonita. Haviam sete esculturas antigas em baldaquinos representando prelados bracarenses, todas em pedra de ançã. As mais recentes se dividiam entre figuras angelicais, de santos e de animais fantásticos, e estas últimas eram especialmente curiosas.

Era muito peculiar a escolha daquele lugar para o templo e sua origem guardava mistérios, pois suas fundações talvez se assentassem sobre um antigo templo pagão erigido pelos romanos e dedicado a Ísis, uma divindade egípcia. Alguns diziam que ali antes existia simplesmente um mercado romano. Tratava-se portanto de uma história praticamente perdida. O mais interessante, no entanto, era imaginar que aquele edifício demorou muitas décadas mesmo séculos para ser terminado, e que ao final disso um terremoto o destruiu parcialmente e ele foi novamente refeito. Que outras esculturas e detalhes não se perderam nesse processo? Era no entanto uma prova de perseverança. Tanta história e só recentemente a Sé foi concluída... Sua base inteira tinha a solidez do estilo românico, com seus arcos baixos e arredondados. Mas os pormenores da última parte da obra em seu frontão já acenavam com elementos do estilo emanuelino começando a romper com a ars antiqua.

Ela se perdeu por uns instantes nesses pensamentos, então, sorriu e acenou para o casal distraído. Seus devaneios artísticos foram quebrados pelas agradáveis palavras de Dama Vivian e de Dom Damasceno, os quais ela cumprimentou com um sorriso.

- Agradeço imenso as palavras de ambos. Muita gentileza terem vindo. É certamente uma honra e uma responsabilidade muito grandes. Espero fazer jus e contribuir da melhor forma possível.

Notou a chegada da conselheira diocesana Abigayl e também cumprimentou-a amavelmente com um sorriso, pois era uma pessoa muito querida. Cumprimentou educadamente o senhor Pedro, cidadão da cidade de Chaves que também veio à cerimónia.

Após esses cumprimentos ela foi igualmente cumprimentar o Arcebispo de Braga. Fez-lhe uma reverência respeitosa e beijou-lhe o anel episcopal, sinal de respeito por sua autoridade. O gestual tinha uma delicadeza que conferia naturalidade e sinceridade ao ato.

- Monsenhor Nreis, meus sinceros respeitos.

Nessas palavras simples ela quis indicar que estava preparada para a cerimónia assim que fosse da vontade do Arcebispo iniciá-la.


_________________
Lfrvot


D. lfrvot de Miranda entra na capela . dirige se a d.Beatrix_algrave , Senhora de Campos Agrestes do No pedido desculpa pelo atrazo.
Nreis


Enquanto ultimava os últimos preparativos para a celebração, NReis ia cumprimentando todas as pessoas que entravam na Sé, ficando feliz por ver tanta gente naquela cerimónia tão especial em que se iria reconhecer o mérito da Dama Beatrix.

O Barão de Fornelos entra então para a sacristia, de modo a paramentar-se, sendo auxiliado pelos acólitos que o iriam acompanhar, enquanto ouvia o repique dos sinos à medida que o sacristão os ia tocando, para chamar a população da cidade de Braga. Encontrando-se pronto, o Arcebispo de Braga sai por fim da sacristia e abeira-se do altar onde se prepara para iniciar a celebração de elevação de Beatrix Algrave Nunes Marques Henriques como Primeira Arquidiaconisa de Braga.

Os convidados levantam-se então.


- Meus ricos filhos, estamos reunidos aqui na Sé de Braga, sede da Arquidiocese, para celebrar o Todo-Poderoso. Esta nossa celebração não deve ser unicamente festiva mas também deve fazer-se com humildade e recolhimento - afirma o Vice-Primaz, abrindo os braços abarcando assim toda a assembleia que se encontrava diante dele.

NReis aproxima-se então da Dama Beatrix.


Caríssima Beatrix, este é sem dúvida um momento especial. Pela fé em Jah, estamos aqui presentes para assistir e testemunhar a vossa elevação como Primeira Arquidiaconisa de Braga, conforme indicado pelos cânones da Santa Igreja Romana e Aristotélica. Para tal, aqui diante do Altíssimo e de todos os presentes, terá de prestar juramento.

Dama Beatrix, promete oficializar o seu ministério de Arquidiaconisa, guiando os fiéis na via da virtude traçada por Christos e Aristóteles, nosso messias e nosso profeta?


Quote:
Deverá responder: Eu prometo

_________________
Beatrix_algrave


Enquanto o arcebispo entrou na sacristia, Beatrix havia retornado para o lado de Fitz, para aguardar que a cerimônia se iniciasse. Segurou na mão do esposo e sorriu feliz para ele.

Então, ao notar a chegada de Dom Lfrvot, o cumprimentou. Uma pena que nem todos os professores do Seminário e colegas do Frigidarium poderiam estar ali, pois alguns moravam longe, e não poderiam deixar suas cidades. Ela aguardou em oração.

Após paramentar-se na sacristia, o Arcebispo retornou e sinalizou que a cerimónia se iniciaria.

Ela então levantou-se e aproximou-se do altar. O arcebispo após erguer os braços chamando a atenção dos fieis, aproximou-se para que Beatrix enfim prestasse os juramentos, uma parte essencial da cerimónia. Diante do primeiro juramento ela respondeu prontamente.

- Eu prometo.

_________________
See the RP information <<   1, 2, 3   >   >>
Copyright © JDWorks, Corbeaunoir & Elissa Ka | Update notes | Support us | 2008 - 2020
Special thanks to our amazing translators : Dunpeal (EN, PT), Eriti (IT), Azureus (FI)