Afficher le menu
Information and comments (0)
<<   1, 2, 3, ..., 14, 15, 16   >   >>

Info:
Um capítulo da história da família Nunes de Aragão Com Nicole Casterwill e Beatrix Algrave

[RP] Laços corrompidos

Beatrix_algrave



Beatrix acordou cedo naquela manhã. Estava com uma expectativa muito grande sobre a chegada de um carregamento de tecidos à feira. Ela viajou apenas com esse propósito de sua cidade para a capital. Estava acompanhada da amiga Nicole, que também desejava fazer compras na grande feira.

Agora as duas caminhavam observando com atenção os itens que eram ali expostos. Havia de tudo um pouco, desde artigos de luxo, trazidos por caravanas de terras distantes e exóticas, até coisas mais triviais produzidas ali mesmo, como lã, azeite e cerveja. Haviam barracas de frutas e de carnes curadas.

Comerciantes passavam com carroças levando produtos.

Beatrix parou diante de uma barraca em que haviam vários rolos de tecidos finos expostos e fardos embrulhados em estopa. Mais adiante haviam vários tipos de linha e fios para urdume.

Beatrix: - Olhe só Nicole, esse brocado verde, não é lindo? Era disso que eu estava precisando para aquele vestido que você fez o desenho. Creio que ficaria lindo.

_________________
Lady_moon
Nicole sorriu para Beatrix e concordou com ela, tecidos não era o seu forte, sempre que Beatrix lhe perguntava algo sobre eles acenava ou concordava com ela, mesmo com as aulas da sua preceptora nunca conseguiu perceber a arte da costura, preferia a arte da tortura.

Mas a sua mente estava noutro lugar, alguém as seguia desde Montemor e não era o seu guarda pessoal que as vigiava de perto enquanto conversava com algum mercador que provavelmente lhe comprava informações sobre Inglaterra.
"Raios deviam ter contratado uma guarda quando cheguei a Portugal!", pensou.

-Pretendo aproveitar para comprar uns barris de Whisky escocês...- É interrompida por uma senhora de idade que se aproxima demasiado de Beatrix chamando a de Ruth, seu fiel guarda impede que a senhora toque na Beatrix, agarrando o seu braço.
_________________
Beatrix_algrave


Beatrix notou a mulher e se virou. Pediu ao guarda de Nicole que deixasse a mulher em paz, afinal, ela não parecia representar perigo algum, e depois ela mesma sabia se cuidar muito bem de si.

Beatrix: - Deixe-a em paz, por favor.

Ao ouvir o nome de sua mãe, Beatrix ficou intrigada.

Beatrix: - Ruth? Acaso a senhora conheceu minha mãe? Dizem que ela era muito parecida comigo.

_________________
_narrador_


Teresa: - Então a senhorita é filha de Ruth Nunes de Aragão? Eu conheci Ruth quando ela era criança. Fui ama por um bom tempo quando ela esteve aqui para visitar a avó e depois viajei com a família. Uma menina tão doce e tão meiga. Fiquei trabalhando para a família por um bom tempo, até que Ruth se tornasse uma mocinha. É seu retrato fiel, com exceção desses cabelos ruivos.

A mulher foi contando animada, e parecia até emocionada com o encontro.
Arnold, roleplayed by Lady_moon
Arnold soltara aquela mulher mesmo que discordasse, quando esta pronunciou o sobrenome Nunes de Aragão, segurou a bainha de sua espada esperando um movimento subtil daquela desconhecida mulher.

-Quem são os Nunes de Aragão? Arnold olhou para Nicole enquanto esta questionava a mulher no seu tom habitual de altivez.


-Eles ainda residem em Lisboa?-Arnold perguntou à mulher temeroso, enquanto dirigiu se para mais perto de Nicole para a afastar da ama de Ruth.

Um dos seus deveres além de proteger a Nicole, era impedir que ela soubesse a existência e a verdade sobre aquela família, só que fora comprovado naquele momento que seria impossível ao notar o olhar curioso de Nicole .
Beatrix_algrave


Beatrix ouvia o que a mulher ia contando, mas não conseguia estabelecer uma relação clara com sua mãe Ruth.

Ela sabia tão pouco sobre a própria mãe, apenas sabia que ela e o pai vieram da Irlanda e que por isso ela nasceu em Portugal. A mãe de Ruth havia falecido pouco tempo após o seu nascimento, de complicações do parto. Pouco mais de dois anos, seu pai retornou para a Irlanda e deixou Beatrix aos cuidados do irmão mais velho.

Ela não fazia ideia que sua mãe tivesse um sobrenome português, e sempre imaginou que o nome de solteira fosse irlandês também. A verdade é que Beatrix não sabia nada sobre a origem de sua mãe, e essa revelação a surpreendia.

Beatrix: - Minha mãe tinha esse nome? Nunes Aragão? Minha mãe se chamava Ruth Algrave. Algrave é o sobrenome do meu pai. Eu nunca soube o nome de solteira dela, mas acho isso tão estranho.

_________________
_narrador_


Teresa: - Meu nome é Teresa. Sim, minha jovem, é mesmo sua mãe Ruth. Esse é o sobrenome do homem com quem ela fugiu, Theodore Algrave.

Diante da pergunta de Arnold a mulher confirmou o que ele devia suspeitar.

Teresa: - Sim, senhor, os Nunes de Aragão ainda vivem aqui em Lisboa, eu ainda trabalho para a família.
Lady_moon
Nicole reconhecia o apelido Nunes, Lilla tinha esse mesmo apelido, questionou se elas as duas eram parentes, ficou curiosa em relação a aquele coincidência.

O desconforto de Arnold perante aquela mulher, fez com que Nicole notasse, decidiu quando quando voltasse para a estalagem iria questionar Arnold e investigar mais sobre os Nunes de Andrade.


-Beatrix precisas de mais algum tecido? Queria voltar à estalagem se não te importares.
_________________
Beatrix_algrave


Beatrix: - Eu vou pedir para separarem o que quero, se precisar ir na frente tudo bem, mas não vou demorar. E eu estava esperando contar com a ajuda do seu guarda costas para carregar algumas coisas.

Ela sorriu e respondeu a Nicole e voltou-se para a mulher.

Beatrix: - A senhora poderia me dar o endereço da família? Prometo que assim que puder eu irei até lá para confirmar se existe mesmo esse parentesco.

A mulher explicou a Beatrix como chegar a residência da família Nunes de Aragão.

Beatrix anotou mentalmente o endereço, ainda um pouco surpresa com a informação, e também sobre o fato da mulher dizer que a mãe dela fugira com seu pai.

_________________
Lady_moon
Eu espero por ti, Arnold podes ajudar a Beatrix?

Nicole observou a conversa entre as duas, não sabia se Beatrix devia confiar naquela mulher, era estranho aparecer aquela mulher sendo que Nicole estava a ser vigiada.

Ponderou em não comentar nada com Beatrix até conversar com Arnold.

_________________
Beatrix_algrave


Beatrix despediu-se de Nicole com um sorriso e continuou suas compras, usando os músculos do guarda-costas de Nicole para carregar fardos e mais fardos de tecido que ela escolheu criteriosamente.

Teresa, foi embora e tomou o rumo de uma barraca de frutas onde escolheu alguns pêssegos, e depois deixou a feira também.

Quando terminou, Beatrix voltou para a estalagem onde ela e Nicole estavam hospedadas. Pediu para o guarda-costas deixar os tecidos no quarto perto da cama, e depois desceu para almoçar, esperando encontrar Nicole no refeitório.

Beatrix: - Estou com uma fome imensa. Espero que a cerveja aqui seja boa, ao menos a comida parece cheirar bem.

Ela comentou assim que viu Nicole.

_________________
Lady_moon
Nicole ri mesmo que a sua vontade não seja essa.

-Esperemos que sim, viver sem cerveja já bastou os longos dias passados em Crato sem uma única gota de cerveja.- Nicole finge tremer e pisca o olho à Bea.- Mas eu vim prevenida, trouxe algumas garrafas da minha bebida favorita.

Nicole senta se com Beatrix numa das mesas posicionadas no refeitório.
_________________
--Estalageira
Por trás do balcão de madeira, Greta polia os copos com um pano branco ao mesmo tempo que observava a clientela. No canto mais recôndito, abrigados da luz e dos ouvidos mais audazes estavam, como sempre, os homens mal parecidos, sem dentes ou olhos, por vezes ambos, a cochicharem em voz baixa. A esses, Greta apenas acorria mediante chamamento, outros atrevimentos e provavelmente ficaria sem um dedo ou dois. Ao lado da porta, um singelo casal, bastante maltrapilho e já com dois filhos. A esses, Greta servia o pão mais duro da casa e a sopa mais azeda, de qualquer das formas não iriam notar, muito menos reclamar. As duas senhoritas que acabavam de entrar no refeitório não eram clientela habitual, vinham demasiadamente bem vestidas. Mesmo àquela distância, Greta podia notar os brios do banho e quase sentir o cheiro a lavado. Poucas vezes recebiam clientes assim. Mas, a este tipo de clientes, Greta servia o pão fresco, a sopa mais quente e o melhor naco de carne. Pousando o copo, enfiou o pano no cinto do vestido e caminhou até elas.

Boas tardes, senhoritas! - cumprimentou, esperando não estar a interromper uma conversa importante - Temos sopa de favas acadinha de fazer, um autêntico mimo, pão fresco a servir com manteiga e perna de cabrito assada no forno, muito tenra e suculenta. O que vão desejar?
Beatrix_algrave


Como a fome de Beatrix era grande, ela ficou bem satisfeita em ser logo atendida. Claro que o fato de estar bem vestida e arrumada certamente influenciou nisso.

Beatrix: - Boas tardes. Para mim a senhora pode trazer a perna de cabrito assada, acompanhada com uma caneca de cerveja e o pão. Se tiver algum bom queijo eu gostaria também e algumas frutas frescas.

Ela diz e aguarda que Nicole e o guarda-costas peçam a refeição, interrompendo a conversa até que a mulher se retire dali.

_________________
Lady_moon
-Desejo apenas uma caneca de cerveja e aqui para o meu amigo.- Indicou para Arnold-Ele vai querer a tal perna de cabrito assada e uma caneca de cerveja.

-Milady desculpe mas eu sei responder por mim.

Nicole olhou para aquele homem que sempre tivera plena confiança nele, mas naquele momento só o via como um homem dos Casterwill , e teria de o tratar como tal e não como o seu companheiro e amigo.

-Guarde a sua voz para me explicares o que se passou à pouco.-Comentou para Beatrix.- Eu conheço duas Nunes mas é provável que não pertençam a essa família.
_________________
See the RP information <<   1, 2, 3, ..., 14, 15, 16   >   >>
Copyright © JDWorks, Corbeaunoir & Elissa Ka | Update notes | Support us | 2008 - 2020
Special thanks to our amazing translators : Dunpeal (EN, PT), Eriti (IT), Azureus (FI)