Afficher le menu
Information and comments (0)
<<   1, 2, 3, ..., 8, 9, 10   >   >>

Info:
Unfortunately no additional information has been added for this RP.

Casamento de Volúpia, Pekente e Antonia

Dalur


O dia amanheceu esplêndido, o cheiro das flores impregnavam os ventos que sopravam calmamente sobre a cidade. O céu estava nublado, e o sol encontrava-se timidamente atrás das brancas nuvens. Era um sábado do mês de Agosto, e também, uma data especial para alguns ilustres habitantes do Reino de Portugal. E neste dia especial, tudo indicava um acontecimento fora do comum, algo para marcar a vida de tais pessoas.

No recém construído templo, flores foram trazidas para enfeitar e embelezar a cerimônia que lá ocorreria. Lírios, rosas e jasmins decoravam toda a extensão das brancas do mármore nas arquibancadas, bem como ao longo do pátio exterior. O obelisco fora envolto por belas fitas coloridas, e outras tantas fitas estavam enfeitando aqui ou ali.

Logo o sacerdote chegou, calmo e sereno, em uma veste diferente, como uma toga ornamentada com símbolos estranhos e palavras desconhecidas de uma língua esquecida pela humanidade. Em seu rosto, a alegria estampada do tio que casaria sua sobrinha, e o orgulho do pai que iria de casar seu filho. Conheceria também Antonia, de quem tanto escutara falar, e a quem nunca havia pousado os olhos.

Certificando-se que tudo estava preparado, o sacerdote aguardava pacientemente a chegada dos noivos e dos demais convidados. Olhando para o céu falou baixinho

- Parece que pode chover, seria um ótimo sinal. Uma benção dos deuses aos noivos... É realmente um lindo dia hoje....

E cantarolando uma canção feliz, aguardou os demais
Iredia


entra na igeja e vai comprimentar o seu tio.
ainda nao chegou ninguem tio?
onde eu me posso sentar?

Renanbachazevedo
chego todo arrumado e junto com sua namorada a Brenda

-esse tal templo eu gostei e muito bonito


da beijo bem gostoso no sua namorada
Brenda


Brenda fica muito envergonhada por receber beijo em um templo, com as bochechas vermelhas. Senta-se ao ladinho do namorado Renan e acha tudo muito bonito, muito bem decorado. Segura a mão dele e aperta.
Esther.
Esther envergonha, mas com muita alegria pelo pedido de seu sobrinho querido, entrelaça-se ao braço esquerdo dele, e chama a mãe do pequeno para os acompanhar. Apesar de não ser muito chegada a casamentos, não poderia deixar de comparecer a um momento tão importante na vida de seu lindinho.
Descem da carruagem, e o oferece uma dose de vinho do Porto pra alegrar o coração e abater o nervosismo.
Entram no Templo, a passos lentos, mas de forma decisiva.
Enquanto caminham rumo ao altar, fala ao ouvido do sobrinho:

- Ainda da tempo de desistir, e sorri.
Cissinha


Cissinha, meio avoada, corre par não se atrasar para a cerimônia, ao chegar, cumprimenta os convidados que lá já estavam, e procura um lugar para sentar-se aguardando o inicio, enquanto pensa.

- Que templo lindo, nunca havia vindo cá.

_________________
Jacatou


Jacatou chega na cerimonia com a sua melhor fatiota, que só usa em ocasiões mesmo especiais,um fato de seda fina importado da Asia e umas calças de algodão ,e cumprimenta os presentes com um sorriso aberto,exceto a Cissinha que é uma pessoa de quem não gosta, e senta-se na frente esperando o inicio da cerimónia.
Lobo82


Lobo chega á igreja e ocupa um lugar ao calhas para assistir a cerimonia de volupia,Antonia e pekente.assim que avista iredia,volta-se a levantar para a ir cumprimentar!
- Como estas linda iredia? esta tudo bem contigo?

_________________
--_beatrix_algrave


Beatrix chega ao templo dos hexistas para assistir ao casamento de sua amiga Volúpia com Pekente e Antonia. Aquele era sem dúvida um evento sui generis.

O lugar estava cheio de flores. Beatrix ainda estava surpresa de terem construído aquele templo tão depressa. Ela estava usando um vestido azul, em tom claro, como a noiva solicitara às convidadas. Seus cabelos estavam presos e adornados com flores de tons azulados. Ela chegou sozinha, pois não levou nenhum acompanhante, nem ninguém da sua família foi com ela daquela vez.

Sentiu falta da presença de Maria, e lembrou-se de Nicole e de como ela apreciava "aborrece-las" com "convidados" Casterwill. Até disso Beatrix sentiu falta. Mas o clima não era para lembranças tristes nem saudosas. Era um dia alegre de celebração e era esse o espírito que Beatrix manteria ali.
Cintyajules


Ao chegar a cidade, se dirige a taverna, afim de encontrar alguem para conversar e pedir informações... Come um naco de pao e então cumprimenta os presentes. Muito bem recebida, encontra informações sobre seus amigos e familiares, ficando ela muito feliz. Na tavena, muita animação e rumores do casamento q ira se realizar nesse mesmo dia. Felicita os noivos e é convidada tambem a participar... Toda contente, mesmo humilde, sem um belo vestido e sem prendas a oferecer, apenas a sua amizade, se dirige ao local da cerimonia e senta-se animada a espera da união do belo casal!
[/b]
Markus_allexander


Markus Allexander adentra a Igreja (o que por sinal a muito não fazia), na data importante dos seus amigos não poderia deixar de estar ali. Neutro, para ser sincero não se sentia desconfortável... notou que a Igreja ainda preservava algo que o agradava, aquele ar de silêncio, embora agora quebrado por alguns murmúrios dos convidados. Correra os olhos memorizando e recordando os convidados ali presente... a uns pouco mais conhecidos deixava um pequeno aceno com a cabeça. A certa distância avistou em seguida aproximou-se de Iredia e Lobo.

Como vai senhor Lobo, tudo bem? - disse ele estendendo-lhe a mão direita

Tudo bem minha linda? Estás magnífica! - disse ele lhe beijando a testa

Observou e gostou do lugar escolhido... próximo ao altar. Alegrou-se ao notar o cálice generoso... era preciso apenas um descuido coletivo.
Pekente


Pekente chega no templo junto com sua Mãe Felyna e sua tia Esther, os tres descem da carruagem, tomam uma boa taça de Vinho e vão andando até as portas daquele belo templo, durante a caminhada até lá, Pekente ouve o comentário sorridente de Esther sobre o casamento...

- Ainda da tempo de desistir

E pekente com um tom alegre para esconder um pouco o nervosismo responde sorrindo...

- Bem vou ter de aguentar duas TPMs ao mesmo tempo mas dou conta da situação, pode deixar tia

Os tres riem juntos, para pelo menos esquecer o quão nervoso ele estava e se divertirem um pouco naquele dia importantíssimo

Quando entram no Templo, os três se dirigem ao altar, quando chegam lá Pekente cumprimenta seu pai e depois cumprimenta rapidamente a todos os convidados que já estão ali, durante sua caminhada ele para em frente a estatua da Deusa Meliene e faz uma rápida prece por ter conhecido o amor de sua vida e pede a benção da deusa nos dias que virão no futuro do casal.

Logo depois Pekente Volta ao Altar para que pudesse esperar a chegada de sua amada noiva




_________________
Felyna
Felyna com lagrimas no olhar beija o seu filho com ternura e em sussurro lhe deseja toda a sorte e coragem do mundo para a nova vida que começara.
Cumprimenta Dalur e os restantes convidados e vai-se sentar ao lado so seu querido padrinho Jacatou.
_________________
Anglys


Anglys chega no templo na companhia do seu marido Phellippe comprimenta todos com aceno de cabeça, excepto suas irmãs Felyna e Esther e sua madrinha Beatrix, a elas da um abraço e um beijo, depois vai ate Pekente abraça o sobrinho diz:

Não fiques nervoso, nem rompas o chão, logo Volupia estara aqui!

Depois pisca-lhe o olho e vai sentar-se com seu marido para assistir á cerimonia

_________________
Renanbachazevedo
me vai ate porta do templo

-ainda da tempo de desistir
See the RP information <<   1, 2, 3, ..., 8, 9, 10   >   >>
Copyright © JDWorks, Corbeaunoir & Elissa Ka | Update notes | Support us | 2008 - 2020
Special thanks to our amazing translators : Dunpeal (EN, PT), Eriti (IT), Azureus (FI)