Afficher le menu
Information and comments (0)
<<   1, 2, 3, 4, 5, 6   >   >>

Info:
Unfortunately no additional information has been added for this RP.

[Cerimônias Reais] Coroação de Sua Majestade Eduardo I

Vicenzo


Haviam se passado semanas desde a eleição real e os diversos assuntos e urgências do reino haviam feito com que aquela cerimônia fosse postergada até aquele momento. Os salões do Paço da Ribeira estavam novamente enfeitados com as cores lusas prontos para a recepção que teria lugar após a cerimônia nos jardins onde fileiras de cadeiras e bancos se alinhavam defronte ao pequeno altar de mármore branco ali colocado para aquela ocasião.

Uma capela baixo os céus do Altíssimo, havia comentado um dos escultores daquele requintado aparato sacro. Uma almofada rendada a bordada a ouro e prata jazia junto ao altar, era ali que Sua Majestade se ajoelharia perante o Criador para ser coroado. Naquele ano a cerimônia havia sofrido algumas pequenas alterações, como sempre ocorria quando um novo monarca ascendia ao trono luso. Da sacada do segundo andar do paço, Leopoldo observava os trabalhadores dando os últimos retoques na decoração e nos preparativos para a cerimônia e as festividades que a sucederiam.

Ao seu lado a Portugal Rainha de Armas observava junto a ele. Aquele seria um dia longo para eles que estavam a frente das instituições nobiliárquicas, já que não só haveria a coroação de Sua Majestade, mas também a investidura dos novos nobres e a renovação do juramento dos nobres mais antigos. Rios de vinho correriam, e os fogos das cozinhas queimariam por longas horas preparando os alimentos para os convidados ilustres que não tardariam em chegar. A vozes baixas os dois confirmavam os últimos detalhes. No interior do Paço era anunciada a chegada dos primeiros convidados.

_________________
Adonnis
Adonnis estivera caminhando pelos Paços da Ribeira desde cedo acompanhando a azáfama dos preparativos para a Coroação de Eduardo I que se realizaria naquela tarde. Ao contrário dos outros dias, a ocasião exigira que o Cardeal-Príncipe estivesse vestido adequadamente: Uma longa batina de seda negra, com 36 botões vermelhos, acompanhados de uma faixa e filetes carmesim em sua cintura. Em suas costas, uma longa capa de seda de igual tom. Em sua cabeça, diferente dos outros dias em que costuma ostentar a tiara dourada de Príncipe, pousava o barrete vermelho cardinalício que só utilizava em momentos solenes onde precisasse representar a Igreja.

Na mão direita do Cardeal, dois anéis de ouro brilhavam. O anel cardinalício adornado com um rubi e o anel do viscondado com uma brilhante e lapidado citrino alaranjado.

Ao chegar nos jardins, Adonnis pode vislumbrar os Viscondes do Paço da Figueira e de Póvoa do Lanhoso que acompanhavam à toda a organização, a quem cumprimentou com um aceno.


Não se esqueça. Disse Adonnis ao Mestre de Cerimônias da Casa Real. Os lugares reservados aos patriarcas das famílias nobres, aos nobres, aos Ministros de Sua Majestade, aos Conselheiros Condais e aos prelados do clero precisam estar devidamente demarcados. Alguns aprendizes da Real Chancelaria estarão em serviço para auxiliar com a recepção dos convidados estrangeiros. Sua Majestade está ansioso e tudo precisa correr perfeitamente.

Após despachar o Mestre de Cerimônias, o Príncipe dirigiu-se à Capela, onde permaneceria rezando até que a hora de início se aproximasse.
_________________

It's just a game!
Hyza


Aos poucos aprende para que serve as asas tem nas costas. E passeando pelos Paços da Ribeira apercebe-se de um aglomerado de pessoas a juntar-se, e ouve uns zom zom a chegar aos seus ouvidos onde falam na coroação do Rei Eduardo.
Como tinha vontade de fazer algumas perguntas a rei e saber se ele a podia ajudar para ultrapassar algumas dificuldades está a ter na cidade onde nasceu.
Mas opta por ficar calada, pois o momento não é adequado para esse efeito, e os guardas reais ainda a levam presa, acaba por escolher um local isolado para assistir Coroação e assim conhecer o Rei.

_________________
Hyza
Kalahn
Na capital do condado do Porto, Kalahn estava no verão iniciando os trabalhos da residência da família de descanso, paço Palafox, quando recebeu uma notificação para participar da cerimônia do rei português.

Ela e o seu marido compraram tecidos no mercado, que mais tarde uma costureira fez um vestido para ela e um terno para ele combinar.

Eles se aproximaram do salões do Paço da Ribeira, fizeram uma reverência e se apresentaram ao arauto como castelhanos, e foram guiados e sentados no banco, admirando a arquitetura, os materiais e os vitrais do salõe da cerimônia real. De vez em quando, ela observava a entrada, caso visse seua prima querida.

_________________
Charlote


Charlote chega cedo ao Paços da Ribeira para participar da Coroação de seu soberano El rey, Eduardo I, como Secretaria de defesa do reino, presidente da Corte dos Nobres, Viscondessa do feudo da Marinha Grande e matriarca da ilustríssima Família Sagres, sua presença no evento era esperada, assim como de sua família.

O ostentoso salão não decepcionava em nada as expectativas altas da Viscondessa, e antes de tomar o assento no local destinado aos patriarcas das famílias nobres, Charlote tratou de seguir com Lyssah, a general do ERP, até os soldados para ter a certeza que o batalhão do exercito real português estava seguindo as instruções de defesa do soberano, do príncipe e da família real.

Após estar tudo nos conformes, a ruiva se senta e chama para junto de si sua mordoma Cristinne, que estava sendo preparada pela ruiva para fazer ascender socialmente e quem sabe fazer bom casamento.

-Cristinne, hoje é sua primeira vez junto aos nobres, atenção as regras de etiqueta e cortesia, uma dama deve seguir a risca a todas elas, a vida em meio à nobreza é por vezes sacrificante.

Cumprimentando a nobreza que já se fazia presente, e conversando assuntos amenos, a ruiva aguarda ansiosa o inicio da cerimônia.


_________________
Aderito


Terminando os seus afazeres junto à discussão sobre a renovação da Magna Carta do Reino de Portugal, o Arcebispo de Évora e Representante da Plebe do Reino dirige-se até ao Paço da Ribeira para assistir à cerimónia de Coroação d’El Rei Eduardo I.

Chegando ao salão cumprimenta os presentes procurando, ao mesmo tempo, saber se teria e qual o lugar reservado para si.

_________________
Aravis


Assim que termina os seus afazeres na Diocese da Guarda, a Episcopisa Aravis se dirige ao Paço da Ribeira, atendendo o convite para a coroação do Rei Dom Eduardo I. Nota que o Paço já está repleto de convidados, mas é chamada a ocupar um local que lhe foi previamente reservado.
Beatrix_algrave


A rainha de armas já posicionada no local destinado a si, aguardava a cerimônia iniciar. Enquanto isso, observava a chegada dos convidados, dentre nobres recém-agraciados, nobres que renovariam seu juramento, membros da corte, autoridades seculares e da igreja.

Uma vez que estava ali representando a Heráldica Portuguesa, a viscondessa do Paço da Figueira trajava o tabardo e usava as insignias de seu cargo. Seu traje interno combinava com as cores da Heráldica e de Portugal sendo vermelho com detalhes em verde. O cabelo ruivo estava trançado e arrematado pela tiara viscondal.

Ela aguardava serenamente, enquanto os convidados afluíam para o salão perfeitamente decorado. Dom Vicenzo havia feito um excelente trabalho quanto a isso, ainda que ela também tivesse sua participação naqueles elementos. Era sem dúvida um prazer trabalhar com o Bibliotecário Mor do Real Arquivo, um religioso dedicado que há pouco havia deixado a liderança da primazia portuguesa, onde atuara de forma exemplar.

Ela olhou novamente para a porta principal, pois aguardava a presença de seus milhares, entre eles seu amado esposo Fitzwilliam e seus filhos Faelnando e Mariana.

_________________
Isaac_valaunoire
Ayant reçu une invitation il y a plusieurs jours, une délégation du Duché de Berry s'était déplacée. Le voyage fut long mais riche en aventures ! Que de nouveaux paysages en arrivant ici, au Portugal.

Nous nous installons donc et ayant quelques difficultés à parler le portugais, pour ne pas dire que l'on ne le parle pas du tout, nous patientons le début de la cérémonie.


--

Tendo recebido um convite há vários dias, uma delegação do Ducado de Berry havia se mudado. A viagem foi longa, mas rica em aventura! Que novas paisagens chegam aqui em Portugal.

Acalmamo-nos e com algumas dificuldades para falar português, para não dizer que não falamos nada, esperamos o início da cerimônia.


- Sorry for the Google Traduction
_________________
Asmhita


Barugo Asmhita Targino, Conselheiro do Condado de Coimbra, Prefeito da Cidade de Guarda e Membro da Ordem dos Mercantes , se dirige ao salão real, pelo convite feito da Corte real para às autoridades do Condado, no intuito de presenciar a coroação de Vossa Majestade Real Eduardo I, se dirigindo aos lugares reservado aos Conselheiros, nota-se alguns conhecidos, com uma mão a levanta e cumprimenta com um sorriso os presentes e se assenta ao seu lugar, neste caso traja-se com a armadura denominada: "Guardas de sua majestade real" símbolo de reconhecimento do novo Monarca e dever compromissário com a coroa Portuguesa.
Aguardando a cerimônia se iniciar.
Velentina



Condessa de Coimbra Velentina Moniz, Baronesa de Pombalinho, chega ao Paço
da Ribeira e adentra no Santuário Sagrado, admira a sua magnitude e beleza.

Senta em um lugar por onde passaria a Sua Majestade o Rei Eduardo e cumprimenta
alguns presentes enquanto aguarda a chegada de alguns amigos e o início da cerimônia
da Coroação do Rei Eduardo.



_________________
Araquinidio...





Após um breve discussão sadia com a bela Condessa de Coimbra, Araquinidio resolve adentrar, e após feito isto, segurando-se à sua espada embainhada, senta-se ao lado da respeitável Velentina, e lhe sussuras palavras que se ditas em alto tom, causaria alarma nos mais sensíveis.

De mãos dadas com a nobre Condessa e abraçado como um filho fica à sua mae em um local desconhecido, Araquinidio apenas observa o cerimonial de elevação às formalidades criadas pelos homens.


_________________
Araquinidio .´.
Velentina



Velentina mais tranquila agora, segura a mão de Araquinidio com carinho, como
bons amigos de infância que sempre foram e lhe sorri.

Fica em silencio aguardando a cerimônia.



_________________
Waltraute




A marquesa de Castro Urdiales, Waltraute, passava por Portugal quando soube de comentários no mercado que logo seriam a coroação do novo rei. Ela comprou boas roupas, limpou-se bem e se aproximou do palácio. Ela não tinha convite, então ficou com as pessoas comuns. Ela estava interessada em ver quem era o novo rei e como era a cerimônia de coroação, já que era a primeira vez que comparecia a uma coroação em um local que não era Castela e Leão.


_________________
Waltraute de Isenstein | Jarl de la Orden del Cuervo Rojo | Marquesa de Castro Urdiales | Señora de Vizcaya
Monderak



Depois de uma longa viagem de terras hispânicas, ele finalmente pôde ver os murrallas que identificaram o reino de Portugal, as estradas poeirentas foram deixadas para trás e o Mestre Templário do Reino de Aragão chegou junto com suas escoltas ao local onde a coroação do O novo rei de Portugal, graças à carta do bom amigo Adonnis, dificilmente perderia a coroação de também um bom amigo que gostava de conhecer.
Depois de deixarem os cavalos em repouso, ajeitaram as roupas e seguiram seus acompanhantes. Entraram na capela sob o olhar atento dos guardas que reconheceram o mestre e deram-lhe uma acolhida agradável.
Uma vez dentro do gabinete, tente procurar seu bom amigo Adonnis.


_________________
See the RP information <<   1, 2, 3, 4, 5, 6   >   >>
Copyright © JDWorks, Corbeaunoir & Elissa Ka | Update notes | Support us | 2008 - 2022
Special thanks to our amazing translators : Dunpeal (EN, PT), Eriti (IT), Azureus (FI)