Afficher le menu
Information and comments (0)
<<   <   1, 2, 3, ..., 8, 9, 10   >   >>

Salão de Baile do Solar dos Camões em Alcobaça

Vega_adc
Vega_adc foi recebendo as saudações, beijos e abraços dos familiares que chegavam e, naquela doce harmonia, entrelaçou os seus dedos nos de Chrisya feliz por estarem ali alguns daqueles que mais amava.
_________________
Marih


Enquanto passeava pelo belo salão, Marih escutou uma voz familiar. virou-se e deparou com a Kitscat a chamando..Marih caminhou lentamente e foi dar um abraço em sua doce tia..

_________________
J.ames


James entra no salão Acompanhando sua Irmã Rhyannon e Familia.
Logo ao entrar contempla a Muy Bela decoração...De fato eles havia caprichado na decoração!!

Então vai cumprimentar os Anfitriões,Parentes e Amigos."Boa noite,Como todos estão?o tempo tem sido bom a vocês!!"

Sai a Procura de algo para beber,e vai te com sua Mãe.
Abraça Aka e lhe Sussura!!!
"Muito belo o Baile!!!Mãe quero lhe apresentar uma pessoa muito especial para mim,Ela se chama Lady Bela,espero que vc e papa goste dela heim!!!,Logo ela está a chegar.

"James vendo seu irmãozinho alegre com doces ,diz.Liberalis traz um docinho pra teu irmão.Querido"
Beatrix_algrave


Nunca estivera em um palacete tão belo. Ainda olhava de vez em quando para o convite para ver se realmente o endereço estava correto, e se era mesmo endereçado a ela.

Certamente que deveria haver um engano. Tentava lembrar a quem conhecia da família e que poderia ter lhe enviado aquele convite. Pensou na amiga Amber mas elas não tinham laços assim tão estreitos de amizade, e quanto ao senhor James, se conheciam há pouco tempo e há pouco tempo eram amigos. Aquele parecia ser um evento mais íntimo para membros e pessoas mais próximas da família.

Ela ficou um pouco receosa, mas seria igualmente rude, se ignorasse o convite tão gentil.

Assim, preparou-se com esmero, vestiu um belo vestido marrom com dourado, colocou o colar que herdou de sua mãe e dirigiu-se para o evento no Solar dos Camões, em Alcobaça.

Era primavera, e deteve-se um pouco a admirar o belo jardim que antecedia a entrada do portão principal. Aquele perfume lhe trazia alguma lembrança esquecida da infância, o cheiro lhe era tão familiar, mas não conseguiu organizar as ideias com clareza. Era um pensamento vago. Seria uma lembrança feliz, ou seria uma lembrança triste.

A noite esfriara, e quando atravessou o pórtico em direção ao salão, Beatrix sentiu um vento gélido, que lhe arrepiou os cabelos atrás da nuca.

_________________
Lady_bela


Chega ao salão muito animada para conhecer a família de seu James querido. Repara da linda decoração e nos detalhes dos preparativos e sai em busca de seu amor.
Vê de longe seu amor conversando com uma senhora muito distinta e pensa que deve ser a mãe que seu amor tanto fala.

_________________
Chrisya
Chrisya sentia-se valente. De quando em quando, um ligeiro arrepio parecia percorrer seu corpo, mas ela ignorava. Sorria, e distribuía mesuras e beijos aos convidados. Era possível ouvir sua voz vez por outra, enquanto ela circulava entre os presentes.

"Max, que honra recebê-lo! Seja bem-vindo! Eu pensei que você traria uma convidada... por falar nisso, onde está a Morgaine? Marih, minha querida, há quanto tempo não nos víamos... não, não se pode deixar para depois, nunca sabemos quando teremos outra oportunidade... e se teremos. Não, não, esqueça isso, foi apenas filosofia barata! Olá, J.Ames, é, o tempo foi bom conosco, sim... o tempo e Jah, que me permitiu estar aqui para enfim ver o meu Dinis ser batizado! E que bela dama você trouxe. Muito prazer, senhorita, eu sou Chrisya. Seja bem-vinda! Lady Beatrix, então enfim tenho a oportunidade de conhecê-la! Já ouvi falar tanto a seu respeito, é tão bom poder agora dar um rosto ao nome! Por favor, fique à vontade!"

Então seus olhos pousam sobre uma bela moça que parecia extremamente nervosa. Aproxima-se dela e toma-lhe as mãos entre as suas.

- Olá... como vai? Eu sou Chrisya de Camões e você deve ser... a convidada a respeito de quem meu filho fez tanto segredo. Lorena? Estou muito feliz que tenha vindo - abaixando o tom de voz, pede-lhe um ligeiro socorro - será que poderíamos nos sentar um pouco? Assim pode me falar um pouco mais de você e eu posso repousar por um minuto.
_________________
Lorena_davila


Lorena observava todos os pormenores à sua volta. Não foi difícil identificar os anfitriões do baile, que eram procurados por todos os convidados quando entravam. Seriam os pais de Dinis, concerteza. O casal passeava-se na festa sempre de mãos dadas e ela achou-os ternurentos e sonhou, por breves momentos, com um amor assim.

A digníssima senhora apoiava-se no braço do marido. Tinha a tez pálida, mas sorria sempre. Lorena estava a fitá-la quando os seus olhares se encontraram. Preparava-se para os ir cumprimentar, quando a Marquesa se soltou do braço do marido e se dirigiu até ela.

Chrysia tomou-lhe as mãos e Lorena sorriu e fez-lhe uma delicada vénia:

- Obrigada, senhora. Sou a Lorena, sim. - e ao pedido de auxílio de Chrysia respondeu de pronto - vamos, há cadeirões ali.

Tomando o braço da mãe de Dinis, Lorena encaminhou-a. Sentiu-lhe as pernas a fraquejar, mas o trajecto era curto e sentaram-se as duas.

- Tem uma casa lindíssima, senhora. No Porto, não há nada assim.

_________________
Cientista


Cientista resolve ir ao encontro da sua amiga Lorena_davila que já há muito tinha desaparecido e pra isso entra na cerimónia mesmo sem ter sido convidado, ou até mesmo ter conhecimento do que ali se passava e com quem.
Já lá dentro encontra a amiga a falar com uma outra senhora, e resolve aguardar enquanto vai tentando satisfazer o animal que lhe ronrona no estômago com os petiscos.

_________________
Maxavis
Chrisya a écrit:

"Max, que honra recebê-lo! Seja bem-vindo! Eu pensei que você traria uma convidada... por falar nisso, onde está a Morgaine?


Max coça a cabeça

Erm... não faço ideia... Aquela rapariga nunca para quieta. Secalhar atrasou-se na taverna, ela às vezes tem problemas em encontrar a porta de saida.
_________________
Dinis_de_camoes


Dinis segue a sua mãe com o olhar, e vê-a a falar com... Lorena. O seu coração enche-se de alegria por vê-la ali. Apróxima-se de ambas.

- Lorena, sempre vieste, que bom. - diz-lhe sorrindo. - Mãe... pelos vistos já se apresentaram. Espero que a viagem do Porto aqui não tenha sido muito cansativa?

_________________

Curandeiro
Lorena_davila


Lorena conversava com a Marquesa, quando avistou Cientista, seu amigo e companheiro de viagem, à entrada do salão. Acenou-lhe e fez-lhe sinal para esperar um pouco. Cien não se fez rogado e depressa se dirigiu à zona da comida.

- Aquele cavalheiro além foi quem me escoltou do Porto até aqui, juntamente com outros amigos, que espero que possa ter oportunidade de os conhecer. - explicou a Chrysia.

A conversa decorria amena, quando vê Dinis aproximar-se. A sua face corou e baixou o olhar. No estômago, tinha uma sensação esquisita e o coração acelarara como louco.

- Olá Dinis - disse timidamente - a viagem correu bem, sem incidentes, pelo menos. Mas valeu a pena... - e corou novamente com as últimas palavras.

_________________
Celinho


Celinho estava deslumbrado, seus olhinhos percorriam cada detalhe.

As carruagens imponentes com duplas e quadras de cavalos de pelagem brilhantes e cores fortes, estavam paradas em linha e seus condutores conversavam perto de uma fogueira.

A grande porta de madeira feita em mogno com detalhes talhados em relevo já demonstrava a elegância e o bom gosto do lugar.

Dentro do salão, velas e flores enfeitavam minuciosamente o ambiente deixando-o muito aconchegante e alegre.

Lustres de cristais em forma de gotas davam uma beleza impar ao local.

A mesa de doces logo chama a atenção do garoto, docinhos variados e coloridos demostravam estar deliciosos.

Outras crianças já estavam ao redor da mesa. Celinho nunca havia estado com outras crianças a não ser as que ele vivera na rua e isso inibia sua vontade de atacar ferozmente os tais saborosas e convidativas guloseimas.

Segurando firme a mão da tiaaa Irises caminham procurando algum rosto conhecido.

Sorriu ao ver a tiaaaa Lorena, acenou com a mãozinha e continuou a procura de mais algum conhecido. Avista o tiuooo Cientista, que já estava a vontade sentado e se deliciando com a bebida e petiscos servidos.

O miúdo puxa a tiaa irises para irem ate ele, sentam ao lado do tiuoo Cientista e ficam observando.

Maria_madalena
Madalena nunca estivera num evento social deste nível, estava habituada a ficar no exterior das festas juntamente com os plebeus. Pela primeira vez em vinte e dois anos, iria movimentar-se entre os nobres e fidalgos de Portugal e não podia expressar o quão nervosa estava. A semana que antecedeu o grande dia foi passada em infindáveis aulas de etiqueta e decoro, para sua sorte Zeca fora um dia cavaleiro e servira numa corte durante alguns anos, pelo que soube guiá-la naquela missão. Agora ali estava, parada em frente às escadas que davam para o Salão de Baile dos Camões a observar os que passavam e a mexer nervosamente no vestido. Apesar de ter comprado um bom vestido e de ter seguido todas as dicas da costureira e de Zeca, sentia-se inquieta. O espartilho estava apertado demais e as numerosas saias do vestido faziam-lhe comichão nas pernas.

E fui eu gastar as poupanças nisto... - resmungou baixinho.

O cabelo da meretriz havia sido entrançado e enrolado à volta da cabeça, num formoso e elegante penteado. O colo desnudado era adornado por um simples colar e pelo pingente que John Rafael lhe oferecera. Aos olhos dos que passavam, Madalena era um agrado, todavia a meretriz sentia-se quase uma pedinte. Quando por fim ganhou coragem para entrar no salão tropeçou nas saias e fez um movimento pouco gracioso. As suas faces coraram de imediato.

Pela Lorena, vá por ela... - pensou ao pegar nas saias tal como a costureira lhe havia ensinado. Um passo depois do outro e a meretriz lá chegou ao salão. Um sorriso tomou-lhe conta dos lábios e o coração bateu descompassadamente. Nunca vira nada tão belo na sua vida: a sala estava decorada de forma maravilhosa e tudo brilhava, desde as pessoas aos copos. Quando o encanto passou, a meretriz procurou os seus amigos entre a multidão.

A um canto da sala viu duas cabeleiras ruivas e uma castanha, apressou-se para lá.

_________________
Brunobrasil


Bruno Brasil ALmeida Muniz, Conde de Fontalva, chega ao salão de baile dos Camões e fica deslumbrado com a beleza do lugar. Observa alguns rostos conhecidos e outros nem tantos, e mesmo assim faz questão de cumprimentar a todos os presentes, em especial a Rainha Chrisya.

_________________
Marih


Marih segura um aperitivo nas mãos enquanto olha o movimento no Solar, não deixa de notar que sua avó levou a Lori para um cantinho e levava com ela uma conversa que pelos vistos deixava a moça encabulada..Marih sorri maliciosa enquanto pensa que nem que tivesse sido encomenda, acertaria tão cheio na escolha...virando-se para outro lado, ela vê chegando pessoas que conhece, amigos do seu dia a dia, e fica feliz em saber que pessoas de sua convivência irão conhecer seus avós, já que são lenda viva por onde passam..Distraida ela olha para a porta e vê uma moça toda desengonçada no andar e no vestir, Marih aperta bem os olhos e tem a sensação de ter visto essa moça antes..com olhar inquisidor faz uma força tremenda pra tentar descobrir de onde conhece essa jovem..Toma um choque ao ver que a tal moça é a mesma meretriz que anda pela cidade a caça de homens alheios, Marih balança a cabeça e pensa quais motivos fez com que seus avós abrissem a porta do solar para todos..

_________________
See the RP information <<   <   1, 2, 3, ..., 8, 9, 10   >   >>
Copyright © JDWorks, Corbeaunoir & Elissa Ka | Update notes | Support us | 2008 - 2020
Special thanks to our amazing translators : Dunpeal (EN, PT), Eriti (IT), Azureus (FI)