Afficher le menu
Information and comments (0)
<<   <   1, 2, 3, ..., 6, 7, 8   >>

Igreja de Chaves

Nicollielo
Enquanto a Baronesa falava, o Sacerdote Confessor a ouvia atentamente, pois naquele momento ele seria o juiz, precisava entender o que a levou ao pecado e a veracidade de seu arrependimento. Eram atos que de certa forma eram compreensíveis, seja o sacrifício para sua própria defesa ou seja as falhas que o humano sempre cometia.

- Fico feliz que tenha decidido se confessar, não é fácil viver aqui no mundo, há guerras, tempos difíceis e temos que enfrentar tudo isto para um dia podermos ir ao Sol. Acredito que se arrependes de ter feito tudo isso, e esse é o caminho certo - O Padre fica em silêncio por um momento em busca de uma resposta - Filha, fizeste o necessário para salvar tua família da morte, agora terás de salvar uma outra família, também da morte, mas morte por fome. Terás de fazer um ato de caridade e ajudar alguma família necessitada, não há nenhuma em especifico, mas não será difícil encontrar uma. Por agora reze duas vezes o credo para que fique bem, mas teu perdão estará completo após a caridade e que se esforce para que nunca mais caia nos mesmos pecados.
_________________
Senescal Diocesano da Arquidiocese de Braga | Alcaide-mor de Chaves | Padre de Chaves |Secretário Lusófono dos Registos Romanos | Capelão da Capela de São Karel | Assistente de Planeamento de Chaves | Mentor-chefe de Chaves
Beatrix_algrave


Do outro lado da grade Beatrix ouviu a voz do padre, na verdade ela estava um pouco surpresa, pois ele tivera um olhar de misericórdia que ela mesma não possuía consigo mesma.

Em seguida ela ouviu a penitência. E um leve sorriso brotou dos seus lábios. Aquilo seria algo realmente agradável de se fazer. Ela poderia inclusive atender não apenas mas várias famílias assim em seu feudo. Mas uma haveria de ser ali mesmo e haveria de ser especial.

- Amén! Padre, assim, eu farei.

Ela então, beijou mais uma vez a ponta da estola. Levantou-se e foi a beira do altar para realizar a sua penitência de orações.

"Eu acredito em Jah, o Altíssimo Todo-poderoso,
Criador do Céu e da Terra
Do Inferno e do Paraíso,
Juiz da nossa alma na hora da morte.

E em Aristóteles, seu profeta,
O filho de Nicomaque e de Phaetis,
Enviado para ensinar a sabedoria
E leis divinas do universo aos homens perdidos.

Eu também acredito em Christos,
Nascido de Maria e de Giosep.
Que dedicou sua vida para nos mostrar o caminho do Paraíso.
Assim, depois de ter sofrido sob Pontius,
Ele morreu em martírio para nos salvar.
Entrou para o Sol onde O aguardava Aristóteles à direita do Altíssimo.

Eu acredito na acção divina;
Na Santa Igreja Aristotélica Romana, Una e Indivisível;
Na comunhão dos santos;
Na remissão dos pecados
Na vida eterna.
Amém."




"Eu acredito em Jah, o Altíssimo Todo-poderoso,
Criador do Céu e da Terra
Do Inferno e do Paraíso,
Juiz da nossa alma na hora da morte.

E em Aristóteles, seu profeta,
O filho de Nicomaque e de Phaetis,
Enviado para ensinar a sabedoria
E leis divinas do universo aos homens perdidos.

Eu também acredito em Christos,
Nascido de Maria e de Giosep.
Que dedicou sua vida para nos mostrar o caminho do Paraíso.
Assim, depois de ter sofrido sob Pontius,
Ele morreu em martírio para nos salvar.
Entrou para o Sol onde O aguardava Aristóteles à direita do Altíssimo.

Eu acredito na acção divina;
Na Santa Igreja Aristotélica Romana, Una e Indivisível;
Na comunhão dos santos;
Na remissão dos pecados
Na vida eterna.
Amém."


Após rezar dois credos, ela foi realizar a outra parte da penitência, conforme havia se comprometido.


_________________
See the RP information <<   <   1, 2, 3, ..., 6, 7, 8   >>
Copyright © JDWorks, Corbeaunoir & Elissa Ka | Update notes | Support us | 2008 - 2020
Special thanks to our amazing translators : Dunpeal (EN, PT), Eriti (IT), Azureus (FI)